No início da manhã desta última quarta-feira (25), o padrasto de uma menina de apenas 10 anos foi preso após confessar ter abusado sexualmente da criança, em Curitiba, no Paraná. O homem, que não foi identificado, tem 34 anos, e era companheiro da mãe da menina e conviva na casa da família por mais de cinco anos. O criminoso que praticamente acompanhou todo início da infância da criança começou a abusar sexualmente dela há cerca de um ano.

O caso chocou a família que está consternada com a situação horrenda pela qual a menina estava passando. O caso começou a ser investigado após o avô na menina começar a suspeitar dos abusos e denunciar o homem à polícia.

Publicidade
Publicidade

Segundo o patriarca da família, ela começou a apresentar comportamentos muito diferentes do habitual, e quando questionada relatou que vinha sendo agredida pelo padrasto.

A mãe que era parceira do criminoso não teria suspeitado de nada até a semana passada quando o #Crime foi levado até os investigadores. A vítima, não teria delatado o abusador por medo das ameaças que o mesmo realizava contra ela. O estuprador confessou que realmente mantinha os abusos sexuais frequente e repetidamente há muito tempo, e ainda alegou que a culpa era da vítima.

Ele disse em depoimento na delegacia que quando a menina começou a desenvolver o corpo e ‘tomar forma’ de adolescente que os abusos começaram. Isso porque a criança estaria se ‘exibindo’ para o padrasto, e o seduzindo.

O homem foi detido pelo Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente que atendeu ao chamado após saber da história de estupro.

Publicidade

Um pedido de prisão preventiva foi expedido para o estuprador de modo a tirá-lo do convívio com a vítima. O criminoso estava em casa e não resistiu à prisão. Já na delegacia ele confessou em relato que realmente vinha praticando os estupros.

A criança foi atendida, e levada a um serviço de atendimento médico para que fosse realizado exame de corpo de delito, onde ficou comprovado que realmente ela estava sendo agredida. Além disso, a proposta é que a menina passe por acompanhamento psicológico pelo trauma vivido todo esse tempo. O homem será indiciado pelo crime de abuso de vulnerável e estupro e poderá pegar até trinta anos de detenção. A família pede por justiça, e espera pela decisão do juizado. #Casos de polícia