Comer peixe é considerado um hábito saudável pela Organização Mundial de Saúde. Mas engolir um peixinho dourado de estimação vivo, apenas para cumprir um desafio proposto em uma noite de bebedeira foi considerado demais para as autoridades da Inglaterra.

Pelo ato, considerado como “crueldade animal”, o comerciante Daniel Challis, 24 anos, foi parar atrás das grades.

O vídeo que os amigos filmaram e que mostra o momento em Challis engole de uma tacada só o pequeno peixe acabou servindo de prova incontestável para a punição criminal do rapaz.

Quem filmou o homicídio do peixe ornamental de poucos centímetros foi o amigo Pal Cheryl Stevens.

Publicidade
Publicidade

Ele postou a acrobacia no Facebook, que acabou sendo visto por ativistas da causa animal que denunciaram o assassinato.

Tanto Challis quanto Cheryl tentaram se livrar das acusações de provocar sofrimento desnecessário ao animal e de falhar em seus deveres de cuidado.

Ambos negaram as acusações, insistindo que acreditavam que o peixe estava morto.

Claro que a história não foi convincente, já que nas imagens é possível ver que a pequena vítima se debate antes de ser enviada para o estômago de seu algoz. Kevin Withey, promotor do caso, disse que o vídeo mostrou que estava "claro" que o peixe estava vivo. "Sua mão está firme e o peixe está se movendo”, disse o promotor.

O vídeo foi filmado em um escritório acima do Crazy Horse bar em Paignton, Devon, Sudoeste da Inglaterra, em 18 de março do ano passado.

Publicidade

O pior é que o peixinho era do dono do bar, identificado como Cameron Nimmo. "Nós percebemos que o peixe estava morto e colocá-lo em um copo", disse Challis.

Ele lembrou: “Alguém disse 'coma' e nós estávamos rindo e bebendo e achamos que seria uma coisa engraçada para fazer. Eu realmente acreditava que o peixe estava morto, não era o mais sensato das coisas a fazer".

Outro amigo, Stevens, de 27 anos, disse no tribunal: “Eu pensei que era engraçado na época, mas eu tirei do meu Facebook quando um amigo disse que estava incomodado”.

Já o dono do peixe, Nimmo, disse que um colega lhe havia dito, no início do dia, que seu peixinho havia morrido."Eu acreditava que estava morto quando Dan engoliu", acrescentou. "Eu não teria deixado ele fazer isso se ele estivesse vivo."

A promotoria chamou o veterinário independente David Martin como perito.

O profissional foi categórico: disse ao tribunal que o vídeo mostrava que o peixinho estava flutuando no meio de um copo antes de ser engolido, o que é um sinal de que estava vivo.

"Quando a mão entra no copo o peixe se afasta o que você esperaria de um animal vivo", acrescentou.

Challis e Stevens foram considerados culpados de crueldade, mas absolvidos da acusação adicional de falharem em seu dever de proteger os peixes.

Eles deverão ser presos quando forem sentenciados oficialmente, no Tribunal de Magistrados de Plymouth, em 3 de fevereiro.

#Crime #Investigação Criminal