Os moradores de uma comunidade do bairro Bela Vista, em Fortaleza (Ceará), revoltados com o crime de estupro, crescente em nosso país, tomaram uma atitude bárbara. Um homem foi linchado, decapitado e teve o corpo queimado após ser acusado de estuprar a própria mãe, uma idosa com mais de 60 anos de idade.

A Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), da Polícia Civíl do Ceará, investiga o #Crime bárbaro. O corpo do homem foi localizado por volta das 22h da última terça-feira (3). Ainda segundo o DHPP, o rosto do acusado de estupro estava deformado pelo fogo.

O suposto estuprador não teve o nome divulgado, mas segundo os moradores da região, ele era um morador de uma comunidade do bairro e foi levado por um grupo de pessoas até a Rua Bolívia, no Planalto Pici, aonde foi linchado.

Publicidade
Publicidade

Ao repórter Antônio José Correia, da TV Diário, afiliada da Rede Globo de Televisão, um morador, que não quis se identificar disse que o homem morto "é da comunidade das Malvinas. Um grupo trouxe o cara pra cá e matou aqui". O entrevistado não deu mais detalhes sobre a vítima.

Na reportagem, o repórter relata que o local é de difícil acesso e explica como o acusado de estupro foi morto. O homem fugiu e foi parar num matagal, aonde foi linchando. Logo após, a vítima foi decapitada e teve o corpo queimado pelo grupo.

A polícia investiga o crime para tentar identificar os autores da barbárie. O número de pessoas envolvidas no crime não foi divulgado. Segundo a Polícia Militar, populares disseram que a vítima era usuária de drogas há algum tempo. O corpo ainda estava em chamas quando as primeiras viaturas da PM chegaram ao local.

Publicidade

Até a noite desta quinta-feira (5), ninguém havia sido preso pelo crime.

O Ceará registra uma média de um estupro a cada seis horas

A população do Estado enfrenta uma onda de aumento de estupro. De acordo com o 10º Anuário Brasileiro de Segurança Pública, divulgado em novembro do ano passado, o Ceará teve uma média de um estupro a cada seis horas. A capital, Fortaleza, responde por 30% dos casos. #Justiça #Casos de polícia