Mais uma chacina envolvendo vítimas da mesma família choca o País. Desta vez, um incêndio criminoso teria sido a forma usada pelo suposto assassino para provocar a morte de cinco pessoas na cidade de Feira de Santana, na Bahia.

A polícia acredita que o homem teria trancado as vítimas na casa, ateado fogo no imóvel e depois fugido. Inclusive, segundo a polícia, na véspera das mortes, ele tinha dito à sogra do filho mais velho que mataria a todos e que estava revoltado.

O fogo foi registrado na madrugada desta quarta-feira (4), no Condomínio Alto do Rosário, localizado no bairro Mangabeira.

O proprietário da residência e principal suspeito, Gilson de Jesus Moura, de 49 anos de idade, continua foragido e ainda não há nenhuma informação sobre o motivo do sumiço e nem de como as chamas começaram.

Publicidade
Publicidade

Já foi apurado, no entanto, que dentre os cinco mortos, quatro eram mulheres, sendo que três eram filhas do suspeito, com idades entre 8 e 13 anos, além de uma enteada e da filha dela.

A imprensa local apurou que o autônomo teria se irritado com a esposa na festa de Réveillon. O motivo seria ciúmes por ela ter dançado.

Gilson teria ficado bravo com a atitude da mulher e depois deste episódio teria ligado para o celular de Ana Cristina e feito ameaças. Disse que era para ela ir para casa porque ele tinha incendiado a casa com os filhos dentro.

Segundo os investigadores, o suspeito e a esposa eram irmãos biológicos por parte de mãe viviam juntos há 11 anos. O autônimo já está com a prisão preventiva pedida pela polícia.

Mortos

A filha mais velha de Gilson tinha 13 anos e chamava-se Thaís de Jesus Moura.

Publicidade

O do meio, de 9, foi identificado como Carlos Alexsandro de Jesus Moura. E a mais nova, de 8 anos é Xayane Vitória de Jesus Moura.

Também são vítimas do incêndio a enteada Emily de Jesus Moura, adolescente de 16 anos que estava grávida de cinco meses, além do filho dela, Enzo, de apenas 2 anos.

A esposa de Gilson, mãe de quatro das vítimas e do neto, Ana Cristina de Jesus, de 37 anos, foi resgatada com vida com a ajuda dos vizinhos. O mesmo aconteceu com uma outra filha dela, Aila de Jesus Moura, cuja idade não foi revelada. As duas sobreviventes foram levadas para hospitais da Cidade com queimaduras profundas nos braços e nas pernas e em estado delicado.

Enquanto a mãe foi para o Hospital Clériston Andrade, a menina foi encaminhada para o Hospital da Criança, em Feira de Santana. Elas tiveram sorte porque os vizinhos conseguiram arrombar a porta para resgatá-las antes mesmo dos Bombeiros chegarem.

Foram necessárias duas guarnições para debelar o fogo. Atuaram no combate às chamas as equipes do 2º Grupamento de Bombeiros Militar (GBM).

Publicidade

De acordo com informações do major Luiz Alberto Silva Jr., comandante do 2º GBM, o incêndio começou por volta de 4h40, quando os militares foram acionados. Quase três horas depois, às 7h30, o fogo foi totalmente contido, com a imediata evacuação da residência.

O tempo de deslocamento até das equipes foi de 10 minutos. Embora considerado um tempo resposta satisfatório, não foi suficiente para salvar as cinco vítimas, que já estavam carbonizadas no momento do combate às chamas. A Polícia Militar informou que os corpos estavam em um cômodo da casa, como se estivessem trancados no local. #Crime #Investigação Criminal