Denis Perreira de Paula, de 26 anos, matou o próprio pai, Otacílio Reis de Paula, de 59 anos, a marteladas. O #Crime aconteceu no bairro Vilas Boas, na cidade de Três Corações, em Minas Gerais. Na confissão do assassinato, Denis releva que ficou irritado com o pai durante uma discussão e resolveu cometer o ato com total frieza. Após matar Otacílio, o homem ainda teve a coragem de enterrar o corpo do pai no quintal da sua casa.

Segundo o assassino, a convivência com o pai era conturbada porque o pai era alcoólatra e Denis é viciado em drogas. Ainda, de acordo com a perícia, o crime teve mais requintes de crueldade porque a vítima pode ter sido enterrada viva, o crime aconteceu na parte da manhã.

Publicidade
Publicidade

Seu Otacílio era um cara querido no bairro e as pessoas começaram a sentir a falta do senhor. Quando questionaram Denis, ele alegou que o pai tinha viajado, porém, os vizinhos começaram a desconfiar quando acharam um martelo no quintal da casa da vítima e viram um monte de terra revirada no terreno da casa. Na mesma hora, chamaram a polícia e Denis tentou fugir pulando o muro, mas os policiais conseguiram pegar o assassino.

Os vizinhos descobriram o corpo de Otacílio enterrado no quintal. A comoção foi geral. Eles ficaram chocados e alguns chegaram a até passar mal. "Os vizinhos ficaram apavorados e eu fiquei nervosa também", declara uma moradora do bairro que não quis se identificar.

Os moradores da região confirmaram as brigas constantes entre pai e filho e o envolvimento de Denis com drogas.

Publicidade

O vizinho Michel Calixto, que vive ao lado da casa de Denis, sempre ouvia os dois discutindo. "Ele sempre estava agredindo o pai dele e causava muito mal ao seu Otacílio", relata. Michel ainda revela que já se envolveu numa confusão com o autor do crime no passado. "Ele fez um buraco enorme no muro da minha casa para roubar um aparelho celular, após o roubo, ele trocou celular por drogas", declara.

Denis aguarda o julgamento preso e responderá pelos crimes de homicídio qualificado e ocultação de cadáver. A pena pode chegar há 30 anos de reclusão para o homicídio, mais os três anos da ocultação do corpo do seu próprio pai. #Tragédia #Investigação Criminal