Na madrugada deste último domingo (15), o jovem Rodrigo Ambrogi, 19 anos, contou que após ser assaltado pediu ajuda a um homem e acabou sendo espancado. O rapaz estava saindo de seu trabalho de gerente em uma boate #gay, localizada na Rua Peixoto Gomide.

Rodrigo conta que as 5 horas ele saiu da boate para comprar alimentos, mas foi atacado por quatro homens que acabaram furtando seu aparelho celular. Desesperado após o ocorrido, Rodrigo caminhou na região da Consolação, centro de São Paulo, e pediu ajuda a um motorista.

O motorista, não identificado, desceu do carro e atacou Rodrigo com dois socos no nariz. O jovem ficou com o nariz quebrado, com as mãos machucadas e o rosto sangrando, ele acabou desmaiando.

Publicidade
Publicidade

Testemunhas que estavam no local contaram que o homem havia entendido que Rodrigo foi assaltado, mas mesmo assim, resolveu descer do carro e o espancar. O estudante, Kaique Santos de Souza, foi uma das testemunhas, ele saiu de uma festa e viu o momento exato da agressão. "O homem dizia ‘ah, vocês estão fazendo barulho aqui! Vão para outro lugar!’. Foi muito rápido e intenso".

Kaique contou que o motorista foi avisado que Rodrigo estava apenas pedindo ajuda pois tinha acabado de ser assaltado, mas o homem ignorou. Uma mulher e outro homem que também estavam no carro chamaram o agressor para dentro do veículo, falando para "deixar para lá e não se envolver".

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP) avaliou que o caso será encaminhado para o 4° Distrito Federal (DP). O jovem realizou o exame de corpo de delito, sua mãe disse que os jovens estão submetidos a essas agressões e que ela não será a primeira nem a última mãe a passar por uma situação dessas.

Publicidade

Cristiane Ambrogi contou que irá "até o fim" com as investigações. O caso do filho de Cristiane foi registrado como #roubo e lesão corporal.

O programa Bom Dia São Paulo fez uma matéria sobre o caso, Rodrigo afirma que ainda não entende o motivo dele ter sido agredido tão covardemente no centro de São Paulo e quer esclarecimentos. #agressão