Quando o assunto é crime, a criatividade as vezes, literalmente, assusta. Dois ex-secretários da prefeitura municipal de Novo Gama, no estado de Goiás, decidiram protagonizar uma peripécia na virada do ano. Vestidos de fantasmas, eles entraram no local e roubaram alguns objetos. O objetivo, dos ex-secretários, era dar um susto nos guardas, mas estranhamente ninguém conseguiu ver tais "fantasmas". A ação foi flagrada por câmeras de segurança, que mostraram tal fato nada sobrenatural. O roubo foi confirmado pelos próprios homens, que confessaram que haviam bebido demais, mas que somente levaram do gabinete do prefeito uma impressora.

Ao voltar à rotina de trabalho, os funcionários, no entanto, notaram que outros objetos haviam sumido, como outras impressoras e computadores.

Publicidade
Publicidade

O mistério agora é saber como itens caros de informática desaparecem sem que ninguém visse. No momento do roubo, havia apenas um guarda na prefeitura, que diz que não viu os homens fantasmas invadirem o local. Eles também arrombaram a porta do gabinete do prefeito sem ser incomodados por forças vivas.

Os ex-servidores que aparecem nas imagens, segundo o site da Revista Veja, em matéria publicada nesta terça-feira, 10, são Carlos Alarcom Cartaxo Martins, ex-secretário de Transportes, e Adriano Marques Tavares, ex-chefe da secretaria de Desporto, Lazer e Turismo. O segundo deles prestou depoimento e disse que a ideia de colocar um lençol na cabeça surgiu depois de muita bebedeira. Eles estavam felizes devido à virada de ano e troca de bastão na prefeitura. No dia primeiro de janeiro, novos prefeitos assumiram em todo o Brasil.

Publicidade

Os ex-secretários eram da gestão anterior, que se despediu em 31 de dezembro, minutos antes do #Crime ocorrer.

A prefeitura confirma que outros objetos sumiram. As investigações devem continuar. Apesar de levarem um susto na polícia, após prestarem os depoimentos, os ex-servidores foram liberados. Eles, no entanto, podem responder por furto qualificado. Na sua opinião, isso foi bebedeira mesmo?