Na tarde desta última segunda-feira (09), a jovem Bárbara dos Reis Rodrigues, de 26 anos, e mais três comparsas foram presos, em Colina das Laranjeiras, na Grande Vitória, Espírito Santo. Eles são suspeitos de serem os responsáveis pelo fornecimento de drogas para o município da Serra, na região metropolitana. A mulher seria a quem coordenava a quadrilha, e exibia uma vida de luxo nas redes sociais. Segundo os investigadores, ela chegava a faturar o equivalente a meio milhão de reais por mês com o agenciamento e repasse das substâncias. A jovem parecia não ter medo de ser detida, pois divulgava imagens com viagens a lugares paradisíacos e mostrava ter bastante dinheiro.

Publicidade
Publicidade

Foi o que chamou a atenção da Polícia Civil para iniciar as investigações. Segundo o delegado que coordena o caso Augusto Giorno, foi feita uma busca conjunta para chegar aos quatro criminosos. Bárbara seria a chefe da quadrilha e repassava a droga a três estudantes, que também foram detidos, e tinham a função de distribuir a substância conseguida por ela. Um deles, de 25 anos de idade, foi identificado e preso em um estacionamento de supermercado no momento em que repassava quase seis quilos de maconha para outros dois traficantes de comunidades vizinhas. Foi através dessa prisão, e as declarações dele, que a polícia finalmente conseguiu chegar até a jovem que se auto-intitulava ‘Baronesa do #Crime’.

De acordo com a Polícia Civil, a principal fonte de entorpecentes recebidos por Bárbara era de traficantes do Paraguai.

Publicidade

Ainda pelas investigações foi possível averiguar que ela ia com freqüência ao país vizinho para poder conseguir a droga. Ao que tudo indica a jovem mantinha o esquema há mais de quatro anos, e tinha muitos contatos no exterior. Ela chegava a movimentar e vender cerca de trezentos quilos de maconha mensalmente. A quantidade absurda era principalmente para abastecer o mercado de universitários que era agenciado pelos colaboradores da criminosa. Ela foi presa dentro do próprio apartamento, depois de quase dois meses de investigação. Essa não é a primeira vez que Bárbara fica detida, ela já chegou a ser presa quatro vezes, inclusive em outros estados. A jovem esteve presa quase três anos no Paraná, mas acabou sendo liberada. Dessa vez a policia espera que ela fique detida por mais tempo, a moça aguarda agora decisão da justiça sobre a condenação.

#Investigação Criminal