Um estupro coletivo foi registrado na madrugada de sexta-feira, 30 de dezembro, no bairro Asa Branca, na cidade de Várzea Grande (MT). A vítima de 30 anos, que não teve o seu nome revelado pela polícia por motivos de segurança, foi estuprada por dois homens e uma mulher, em seguida, a mesma foi ameaçada de morte pelos acusados. Nenhum envolvido no #Crime foi preso pela polícia.

De acordo com informações repassadas pela polícia, a vítima tinha saído do seu trabalho e retornava para a sua residência por volta das 0h30. Já próximo a sua casa, a mesma foi abordada pelos acusados, que estavam em um veículo de passeio. Ainda de acordo com a polícia, com uma arma em punho, um dos acusados obrigou a vítima a entra no veículo.

Publicidade
Publicidade

Em seguida, levaram a mesma para uma área pouco movimenta, onde ela foi violentada sexualmente pelos suspeitos.

Conforme conta em seu depoimento, a jovem relata que houve penetração vaginal e anal com os homens, e os mesmos sempre ameaçando de morte caso ela gritasse por socorro. Como se não bastasse, a mesma foi obrigada a praticar sexo oral na outra mulher. Após o abuso, a mesma foi levada pelos acusados e a deixaram em frente a sua residência. Logo após, os mesmos fugiram com o veículo. A mulher acionou a polícia relatando que tinha sido vítima de estupro coletivo.

Diante dos fatos, uma viatura da polícia foi até o local informado. A mulher passou todas as informações dos acusados para a polícia, que em seguida fez uma ronda na região, porém nenhum veículo com as características passadas pela jovem foi localizado.

Publicidade

Já a vítima foi encaminha para unidade médica da cidade, onde tomou remédios para evitar doenças sexualmente transmissíveis, em seguida, foi conduzida até a Central de Flagrantes onde registrou um boletim de ocorrência para o delegado plantonista.

Um inquérito foi aberto e o caso está sendo investigado pela Delegacia Especializada de Defesa da Mulher, da Criança e do Idoso da cidade. Até o fechamento deste artigo, os envolvidos no estupro não foram presos pela polícia. #Violência #Casos de polícia