Nessa semana, um crime acabou chamando a atenção do país. Um homem invadiu um cemitério conhecido de uma cidade do estado do Ceará, o município de Forquilha, e fez algo macabro com um dos túmulos. De acordo com a mídia local e também posts no Facebook, o homem seria um estuprador. Ele entrou no local, tirou um caixão recém enterrado e realizou práticas sexuais com o cadáver. O flagrante foi apenas descoberto horas depois, quando o meliante já não estava no ambiente em que as pessoas são enterradas. Os funcionários do espaço descobriram o pior. O abusador tinha aberto o caixão de uma criança, enterrada um dia antes. A menina, de nome Luanny, morreu no fim de semana, vítima de um afogamento.

Publicidade
Publicidade

A morte aconteceu em uma piscina.

Os pais da menina ainda estavam completamente arrasados com a perda da filha. A família decidiu fazer visitas durante a semana ao caixão da criança. Ao chegar ao cemitério, os parentes da criança viram o corpo jogado e com marcas de agressões sexuais. O caixão da menina também estava completamente destruído, o que obrigará o cemitério a realizar um segundo enterro. O abuso ao cadáver de uma criança, é claro, chocou o Ceará e também as redes sociais. Notícias sobre o caso tiveram grande espaço na mídia. "Meu Deus. Isso não pode nem ser chamado de animal, pois nem um bicho seria capaz de copular com um outro animal já morto", sugeriu um internauta ao comentar o fato, que de fato, é extremamente chocante.

Os responsáveis pelo cemitério dizem que não viram o homem, mas que o estupro ao cadáver é evidente.

Publicidade

Acredita-se que apenas uma pessoa estaria envolvida no #Crime, mas não está descartada a hipótese de mais pessoas na cena do crime. Para saber com 100% de certeza se houve ou não um estupro ao cadáver, policias foram chamados. O departamento de medicina forense do estado do Ceará está fazendo uma perícia no corpo, que será novamente enterrado. O delegado do caso, Otávio Coutinho, disse que não entende como um ser humano é capaz de fazer isso e que a cena era chocante #Investigação Criminal