Nesta semana, um vídeo que mostra o famoso médium Lívio Barbosa acabou ganhando as redes sociais e fazendo o maior sucesso. O conteúdo da publicação é religioso, mas gente das mais diversas crenças disseram que estavam emocionadas ao analisarem as imagens. Isso porque uma mãe, que perdeu o seu filho jovem, pede que o líder espírita envie à ela qualquer mensagem que possa ser confortante. É impossível não se emocionar com a sequência do vídeo, que já tem milhares de acessos nas redes sociais. A mãe aperta a mão do médium, que mesmo sem nenhuma referência, começa a desenhar o rosto do rapaz. Ao achar o desenho parecido, a mãe aperta a mão do religioso.

O vídeo mostra que o homem que está realizando a consulta religiosa praticamente não olha para o papel enquanto desenha o retrato do falecido.

Publicidade
Publicidade

Ele também escreve uma mensagem para a mãe. Segundo fontes de um portal ligado à cultura espírita, através do médium Lívio Barbosa, o rapaz disse que estava bem e pediu para sua mãe tentar seguir o seu caminho.

É bom lembrar que de certa maneira, até as religiões mais populares do Brasil, a católica e a evangélica, de certa maneira, acreditam na reencarnação. Isso porque, de acordo com o velho testamento da bíblia, Jesus teria ressuscitado após o terceiro dia. No entanto, a diferença é que essas religiões não acreditam que o ser humano morra e volte à terra em um outro corpo. Muitas novelas brasileiras já trataram do assunto no Brasil. Uma das mais populares foi 'Alma Gêmea', que virou um fenômeno de audiência. Outras como 'A Viagem' e 'O Profeta' também exibiram a temática em seus enredos.

Publicidade

Imagens emocionantes

Veja abaixo o vídeo que mostra a mãe do rapaz morto se emocionando bastante ao ver o trabalho do líder religioso, que mesmo sem conhecer o falecido, teria feito um retrato fiel dele. Na sua opinião, algumas pessoas são mais capacitadas ao conseguirem tem um elo com o mundo espiritual? Deixe seu comentário. A sua opinião é sempre muito importante para todos nós e ajuda a estabelecer o diálogo.

#Religião