Jeferson Amaral de Carvalho, tem quarenta e seis anos. Boa parte deles vividos com sua ex-companheira, Sandra Oliveira, que foi assassinada aos quarenta e três anos de idade. A informação foi confirmada pela polícia da cidade de Ilhéus, na Bahia, ao G1, o portal de notícias da Globo. De acordo com os agentes da lei, Jeferson foi preso em flagrante. Ele estava - literalmente - com a mão na massa de cimento, quando os agentes chegaram ao local. A mulher foi morta a golpes de faca. Em seguida, seu suposto assassino, a enterrou em casa, em uma parte que está em construção e já estava jogando concreto por cima, a fim de ninguém achar o corpo de sua ex-companheira.

Os vizinhos foram os grandes responsáveis para elucidarem o #Crime.

Publicidade
Publicidade

Eles ouviram a vítima gritando socorro. Além disso, a mulher já reclamava de abusos do homem que um dia já dividiu a vida. Os vizinhos teriam visto o homem fazendo o buraco logo após a briga, o que chamou bastante atenção. Uma viatura com policias então chegou ao local e encontrou o homem ajoelhado no quintal, alisando o concreto no chão. Ele argumentou que estava fazendo uma obra de construção de seu imóvel. Segundo Jeferson, um novo cômodo seria feito pela família. Ao ser questionado, no entanto, se ele teria matado a esposa e que vizinhos ouviram a discussão, o assassino confessou o crime.

Segundo ele, para asfixiar a mulher, ele usou um cabo de enxada. Com ela já sem ar, ele pegou uma faca e cortou o seu pescoço. Em seguida, ele enterrou a mulher no buraco e decidiu fazer a massa com cimento.

Publicidade

O responsável pela investigação do caso é o delegado Luciano. Em entrevista ao G1, ele falou que o homem e a morta estavam separados. No entanto, mesmo assim, eles dividiam a mesma residência, onde ainda moravam os dois filhos. Não foi mencionado se as crianças estariam ou não na casa. O assassino confesso foi levado para um cadeia da região. Vizinhos disseram que as brigas entre os dois eram frequentes e, ao ouvirem a mulher gritar por socorro, chamaram a polícia. #Investigação Criminal