Morreu aos 68 anos de idade o ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (#STF). O ministro era relator da Operação #Lava Jato. Segundo o seu filho, Francisco Zavascki, ele estava viajando para Paraty em virtude de férias.

Francisco Zavascki anunciou a morte do pai por meio de sua conta no Facebook por volta de 18 horas e 05 minutos. Inicialmente por volta de 17 horas e 22 minutos, ele havia publicado que o pai estava no avião que caiu e pediu aos seus seguidores que rezassem por um milagre.

O presidente Michel Temer lamentou a morte e decretou luto oficial de três dias. O juiz Sérgio Moro ficou surpreso com a morte e destacou que o ministro foi um grande magistrado e exemplo para todos os juízes, promotores e advogados do país e que não fosse ele, não haveria a Operação Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

Destacou também que o legado deixado por ele não seja esquecido.

Sobre o acidente

Segundo informações da Infraero, a aeronave de pequeno porte e com capacidade para oito pessoas, decolou por volta de 13 horas e 01 minuto do Campo de Marte em São Paulo Capital. A documentação da aeronave estava em dia, segundo a Anac. O dono e operador da aeronave é o Hotel Emiliano.

As 13 horas e 30 minutos, segundo informações de funcionários do aeroporto de Paraty, a aeronave caiu no mar em um momento que chovia muito na região.

Bombeiros que socorreram a aeronave informaram que devido a forte chuva apenas conseguiram visualizar três vítimas presas no avião sem conseguir identifica-las. Nem a Força Aérea Brasileira (FAB) nem os bombeiros conseguiram informar quantas pessoas estavam a bordo e o estado de saúde das mesmas.

Publicidade

Sobre o Ministro

Teori Zavascki tinha 68 anos de idade e era viúvo. Deixa três filhos. Nascido em Faxinal dos Guedes, Santa Catarina, o ministro formou-se em Direito pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) no ano de 1972. Foi ministro do Superior Tribunal de Justiça entre os anos de 2003 e 2012. E 2012, por indicação da então presidente Dilma Rousseff, tomou posse como ministro do STF.

O ministro era relator da Operação Lava Jato e tinha como próxima atividade a homologação dos acordos de delação da empreiteira Odebrecht, prevista para fevereiro, após o fim do recesso do Judiciário. #Tragédia