A morte do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), #Teori Zavascki, confirmada no início da noite desta quinta-feira (19), dominou as trending topics do Twitter e também esteve entre os assuntos mais falados no Facebook. O assunto é polêmico e muitos internautas têm levantado suspeitas de que o acidente teria sido provocado para acabar com a Operação #Lava Jato.

O avião em que o ministro viajava, juntamente com outras três pessoas, era um King Air C90, prefixo PR-SOM, de acordo com informações repassadas ao jornal Extra pelo Corpo de Bombeiros. A aeronave teria decolado do Campo de Marte, em São Paulo (SP), às 13 horas, com destino a Paraty, cidade turística no litoral sul fluminense.

Publicidade
Publicidade

De acordo com a Agência Brasil, o avião caiu por volta das 14 horas, na região da Ilha Rasa, culminando na morte dos quatro passageiros.

Zavascki, que era relator da Operação Lava Jato, estava em recesso, mas havia interrompido as férias para analisar os 77 depoimentos de delação premiada de executivos da empreiteira Odebrecht. A expectativa era que o magistrado homologaria das delações, que ligariam os nomes de pelo menos 200 políticos ao esquema de lavagem de dinheiro que estava sob investigação.

O fato de o ministro estar se preparando para fazer a homologação das delações e morrer em um acidente trágico causou incredulidade nas redes sociais e alguns internautas até sugerem que a queda do avião é uma "#Queima de arquivo".

Alan Mansur, que é procurador da República no Pará (MPF/PA) e atua no Núcleo de Combate à Corrupção, postou em seu Twitter que Zavascki estava conduzindo os trabalhos da Lava Jato com firmeza e seriedade.

Publicidade

"Difícil acreditar em mero acidente", afirmou Mansur, que também é diretor da (Associação Nacional dos Procuradores da República).

A jornalista Mariana Godoy também manifestou pesar pela morte de Zavascki e demonstrou ceticismo em relação ao acidente envolvendo a aeronave do magistrado, na mesma rede social.

Muitos posts veiculados no Twitter sugerem que a morte do ministro é uma tentativa de ganhar tempo na Lava Jato e livrar muitos corruptos de punição.

Leia alguns deles:

Ameaças

Em maio do ano passado, o filho do ministro, Francisco Prehn Zavascki, postou no Facebook sobre supostas ameaças que estariam sendo feitas ao magistrado e sua família.

Publicidade

O assunto foi divulgado pelo jornal Extra.

"É óbvio que há movimentos dos mais variados tipos para frear a Lava Jato. Penso que é até infantil que não há, isto é, que criminosos do pior tipo (conforme MPF afirma) simplesmente resolveram se submeter à lei! Acredito que a Lei e as instituições vão vencer. Porém, alerto: se algo acontecer com alguém da minha família, vocês já sabem onde procurar...! Fica o recado!", publicou, na rede social.