Na noite deste último sábado (14), o motorista de transporte público, Lourival Messias da Silva, efetuou vários disparos contra um dos passageiros do veículo, em Jundiaí, em São Paulo. A vítima é Gustavo Bezerra Pratis, de 36 anos, e estava dentro do ônibus quando o motorista resolveu agir com as próprias mãos.

O veículo fazia a rota que vai do Residencial Jundiaí, até o Parque Elói, por volta das 22:30h, e estava sem maiores intercorrências até que duas passageiras reclamaram com o motorista que haviam sido assediadas pelo homem. Ao que tudo indica a vítima estaria passando a mão em várias passageiras, até que duas delas resolveram reclamar com Lourival que dirigia a lotação.

Publicidade
Publicidade

Diante da situação inesperada, mas já relatada várias vezes, inclusive com boletins de ocorrência, o motorista foi tirar satisfação com o agressor. Foi quando o homem ficou extremamente agressivo e começou a bater no motorista. Ele recebeu socos no rosto, pontapés e teve vários ferimentos pelo corpo. O homem diante das agressões voltou até seu assento e pegou uma arma que escondia na lateral da poltrona.

Era uma pistola calibre 38, que o homem apontou para o abusador, e o ameaçou com a arma. Foi quando a vítima teria partido para cima do homem, e ele acabou disparando contra a cabeça e o peito do passageiro. Ele efetuou três disparos que acabaram ceifando a vida do homem que morreu na hora.

Assustado o motorista do veículo saiu em fuga e abandonou o local antes que a polícia chegasse para entender o que estava acontecendo.

Publicidade

Os agentes ainda investigam o ocorrido e tentam localizar Lourival que ainda está foragido. Essa não seria a primeira vez que relatos de assedio aconteciam dentro do veículo.

Uma das jovens, que reclamou da violência sofrida, disse que por volta das 18h do mesmo dia foi assediada pelo homem que foi assassinado. Ela ainda tentou reagir, gritou, mas não recebeu ajuda de nenhuma das outras pessoas que estavam presentes.

Outra passageira tinha já reclamado com o mesmo motorista de assedio, na última quinta-feira (12). Vários dos casos parecem ter sido praticados pelo mesmo suspeito que foi morto, mas parecem existir outros abusadores. A polícia agora tenta entender quem são eles, e está atrás do motorista que ficará preso.

#Crime #Casos de polícia