No final da tarde desta última sexta-feira (30), uma mulher, identificada como Marinalva dos Santos, foi detida após atear fogo na própria residência onde estavam duas crianças, em Floriano, município do Piauí. A polícia militar havia sido chamada pela própria suspeita, devido às agressões que estava sofrendo de um homem, aparentemente seu companheiro. O caso aconteceu no Conjunto Habitacional José Pereira, e inicialmente, a ocorrência seria de violência doméstica, e os policias se preparavam para atender à chamada, quando uma outra ligação denunciou o incêndio. Ao que parece a mulher teria ficado transtornada com a demora da PM em atender ao pedido de socorro e não aguentando mais ser agredida ateou fogo na própria residência.

Publicidade
Publicidade

Os agentes chegaram à região por volta das quatro da tarde, e já encontraram a casa totalmente em chamas. Com ajuda dos moradores da vizinhança os próprios policiais militares conseguiram apagar o fogo. Segundo relatou o Tenente Coronel Rubens Lopes, que está a frente do caso, teria sido sim, a dona da residência a colocar fogo no local. Para piorar a situação, no momento em que ela teria colocado fogo na casa, duas crianças, aparentemente, seus filhos, estavam dentro da residência. Elas conseguiram ser retiradas com segurança, e não se machucaram.

No momento em que a polícia chegou, Marinalva estava transtornava, e xingava, pois o marido tinha conseguido fugir e não estava no momento para que fosse preso pelos PM’s. Ela se exaltou pelo fato de os agentes não terem detido seu companheiro, que insistentemente ela acusava de a ter agredido.

Publicidade

No meio do tumulto ela ainda acabou sendo presa por desacato. Na tentativa de reivindicar a situação, ela acabou insultando os policiais que vieram no socorro. A mulher ainda responderá por ter provocado o incêndio e por ter colocado em risco as pessoas que estavam dentro da residência. Ela deu depoimento do 3º Batalhão e contou a sua versão da história, provavelmente será liberada e responderá em liberdade pelos crimes que cometeu. O homem que supostamente a teria agredido vem sendo procurado pela polícia para também ser ouvido, mas ainda não foi localizado pelos homens da PM. #Crime #Investigação Criminal