No sábado, 31, uma mulher assustou os moradores de Bangu, bairro conhecido por ser muito quente, no Rio de Janeiro. Em uma região comercial, ela pegou um paralelepípedo que estava no chão e usou ele como arma contra o seu ex-companheiro. Supostamente traída, a protagonista da ação, que seria toda filmada, sobe em cima do veículo e disse que se vingaria. Nas imagens, que podem ser vistas ao final da reportagem, a moça quebra com a pedra enorme o vidro do carro. O suposto traidor, que está em seu veículo de passeio preto, inicialmente, parece que não fará nada contra a mulher, mas depois prossegue. Mesmo com o carro em movimento, ela não desgruda dele.

As pessoas que estão em volta dão o maior incentivo para a mulher.

Publicidade
Publicidade

"Isso é mesmo. Tem que fazer isso mesmo", grita uma consumidora, que está bastante animada ao ver a cena. Não se sabe o que aconteceu com a mulher depois da ação. Será que o ex-companheiro dela a denunciou? Vídeos de flagrantes de traição são bem comuns e fazem parte constantemente da internet. Em 2015, por exemplo, 'Fabíola da unha' ficou famosa em todo o Brasil. O motivo? Ela foi flagrada em um motel de Belo Horizonte, Minas Gerais. O marido traído pega a sua esposa com o melhor amigo no motel e lembra que ela disse que tinha ido na manicure.

Revoltado, ele quebra tudo o que vê pela frente e humilha a companheira, que estava tendo um caso com um homem casado. Fabíola acabou tendo muitos problemas com o companheiro. Acredita-se que eles se separado. A mulher, que trabalhava de bancária, afastou-se do serviço.

Publicidade

Já o amigo do traído voltou a ficar com sua esposa. Os dois fizeram uma viagem internacional e fizeram as pazes. Nem mesmo a família de Fabíola teria ficado toda a seu lado, mostrando como uma traição é ruim.

Veja o vídeo da ação, que teria ocorrido no último dia do ano de 2016. Na sua opinião, será que foi mesmo uma traição que levou essa moça a subir no veículo e fazer esse grande estrago? Deixe o seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós;

#Crime