No dia 29 de novembro, o avião que levava o time da Chapecoense para a final da Copa Sul-Americana, caiu na cidade de Medellín, na Colômbia. A aeronave da LaMia era pilotada pelo piloto e sócio da empresa, Miguel Quiroga, que não conseguiu chegar até o aeroporto da cidade colombiana. A tragédia aérea resultou na morte de 71 pessoas. Apenas seis sobreviveram. Um deles é o jogador Neto, que mesmo muito debilitado e magro, apresentou-se com os novos atletas do time para a temporada de 2017. Apesar de dizer que, pelo menos até o segundo semestre, não tem a menor condição de jogar, Neto acredita que estar com o grupo vai ajudar as duas partes nessa recuperação.

Publicidade
Publicidade

Em uma coletiva de imprensa dada nesta terça-feira, 10, ele falou sobre o piloto Miguel Quiroga. Neto pediu que as pessoas não o julgassem, até porque as investigações sobre o acidente ainda estavam em andamentos. Sobre os seus sentimentos, o atleta diz que não ficou com raiva de ninguém, argumentando que a vida é muito curta para guardar esse tipo de sentimento. “Tenho coragem para seguir em frente. Não tenho raiva de ninguém. O que aconteceu foi uma loucura", disse ele na coletiva, que voltou a dizer que a vida passa rápido e é muito curta. Alguns médicos já acreditam que o jogador poderá voltar atuar em até cento e vinte dias, caso a recuperação dele continue a andar nessa velocidade.

O atleta da #Chapecoense ainda gravou um vídeo, que foi publicado pelo time em sua rede social.

Publicidade

Nele, ele pede força para o reinício do clube, que está na próxima fase da Copinha. Segundo o jogador, as orações foram muito importante para ele e outros sobreviventes, que precisam de toda a força do mundo para se recuperarem: "Deus ouviu a todos". Neto, que já era ídolo do time, virou uma espécie de herói.

Veja abaixo o vídeo que mostra o depoimento dado por Neto e divulgado pelo time da Chapecoense. Na sua opinião, ele fez correto ao perdoar o piloto do avião que caiu na Colômbia? Deixe o seu comentário. A sua mensagem é sempre importante para todos nós.