A vida é realmente cheia de percalços. Um grande empresário do Nordeste, o empresário Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, viu-se em meio à uma grande polêmica, que está a revoltar milhares de pessoas em todo o país. Na madrugada de sábado, 21, ele teria atropelado um agente da Lei Seca e depois fugido. O agente é Diogo Nascimento de Souza, de trinta e quatro anos. Tudo aconteceu durante a Operação da Lei Seca. A situação, como informa o site da Revista Veja, em matéria publicada nesta segunda-feira, 22, aconteceu na cidade de João Pessoa, na Paraíba.

O empresário, muito rico, dirigia um carro de luxo, um Porsche conversível de cor branca, quando tudo aconteceu.

Publicidade
Publicidade

Segundo testemunhas, ele teria tentado fugir da fiscalização na Avenida Nilo Peçanha. Quem estava no local diz que o empresário, ao invés de parar, simplesmente acelerou e atropelou os agentes. Ele, após atropelar o funcionário, que tentava impedir acidentes como esse, simplesmente fugiu, sem prestar socorro. De acordo com o site da Veja, uma juíza da região decretou a prisão temporária do homem, mas horas depois ele recebeu um salvo-conduto de um desembargador, dizendo que ele não tinha antecedentes criminais.

A situação provocou comoção não somente na região, mas em todo o país. O empresário é Neto de José Carlos da Silva Júnior, que é Senador e vice-governador da Paraíba. Além disso, ele é dono de uma afiliada da Rede Globo na região, a TV Cabo Branco. O Grupo Globo não teria comentado a prisão e soltura do acusado em menos de sete horas.

Publicidade

O avô do acusado é um dos homens mais ricos do Nordeste, tendo influência nos mais diversos meios.

Em nota, o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) da Paraíba diz que nesse momento, além da comoção em torno do caso, o desejo da entidade e dos colegas de trabalho do agente morto é que a justiça seja feita. E na sua opinião, em casos como esse? O que deve ser feito? Deixe seu comentário. Ele é sempre importante para todos nós e ajuda a estabelecer o diálogo sobre os temas. #Crime #Investigação Criminal