Fotos recentes publicadas pelo Bispo França, durante um jantar com o #Pastor Valdemiro Santiago, estão causando muita revolta nas redes sociais. Tal como informa o site “RD1”, cinco dias depois de ter sido alegadamente operado por ferimentos graves no seu pescoço, após ter sido violentamente atacado por um jovem, ao vivo, na televisão brasileira, as publicações feitas pelo Bispo França dão a entender que o ferimento do líder da Igreja Mundial já não existia e que, apesar do atentado macabro que foi vítima, o Pastor já se encontrou totalmente recuperado.

No início do ano, um dos líderes religiosos mais conhecidos do país foi atacado por trás, tendo alegadamente sido esfaqueado três vezes, duas delas no seu pescoço e outra nas costas. Poucas horas depois da operação, que teria salvado a vida do religioso, a verdade é que ele já estava falando diretamente com seus fiéis, algo que, desde aí, provocou logo muitas questões sobre a veracidade desse ataque.

As dúvidas aumentaram ainda mais depois de Valdemiro Santiago, já em sua casa, ter pedido cerca de 8 milhões de reais aos seus fiéis, garantindo que estava ainda recuperando e que os custos para manter o canal religioso eram muito altos e necessitavam de doações para manter o projeto como estava. Agora, como garante o site “RD1”, foi a vez de umas fotos inocentes do Bispo França, onde fez questão de agradecer a presença do Pastor, tiraram as dúvidas de muitos brasileiros, que acusam agora o líder da Igreja Mundial de manipulação e de fazer de tudo para conseguir obter as doações dos seus fiéis, sendo que muitos têm poucas capacidades financeiras.

Essa revolta está surgindo sobretudo nas redes sociais, sendo que muitas mensagens garantem que é impossível, em um espaço tão curto de tempo, o pescoço de Valdemiro Santiago ter ficado normal depois de um #Ataque tão violento naquela zona, se tratando de uma "farsa". A verdade é que, depois dessa nova #Polêmica, o Pastor decidiu não abordar o assunto, apenas revelando, no mesmo dia do ataque, que estava rezando pelo seu agressor e que não queria que ele fosse preso.