Estelionatários buscam inovar nas práticas de golpes contra usuários de terminais eletrônicos de agências bancárias. A #fraude ocorre quando a vítima, após utilizar os serviços dos terminais, distancia-se do mesmo após encerrar suas operações. Nesse momento, o criminoso a aborda apresentado-lhe uma pequena notificação que a intima a atualizar sua senha e letras utilizadas sob pena de uma taxa/multa de R$ 49,00 (quarenta e nove reais) caso a mesma não seja realizada. Desse modo, o bandido induz à vítima ao erro, comunicando-lhe que a notificação foi emitida logo após finalizar sua ação no terminal eletrônico.

Idosos são as vítimas mais visadas

Os idosos são o público mais visado nas ações destes criminosos pois, devido sua senilidade, podem ser mais suscetíveis ao tipo de argumentação utilizada, que geralmente leva a crer que a vítima esqueceu algo pendente na máquina.

Publicidade
Publicidade

A vítima é levada a crer que não encerrou devidamente sua ação no sistema, o que é convalidado por dados informativos da notificação que apresentam similaridade aos do #Banco em questão, buscando dar maior autenticidade à fraude.

Outras vítimas são eleitas segundo critérios subjetivos dos criminosos, como provável estado de desatenção, ou aquelas que podem ser facilmente constrangidas a liberar senhas por não terem muita familiaridade com o uso dos terminais, não apresentando a devida habilidade para utilizar o equipamento.

Falta de segurança no perímetro do terminal eletrônico

Outro agravante é a falta de fiscalização nas proximidades dos caixas eletrônicos. Embora a finalidade destes seja a automatização de todas as etapas dos serviços bancários, dispensando funcionários humanos, contudo os criminosos se utilizam de um perímetro muito próximo dos caixas eletrônicos para praticarem suas ações.

Publicidade

A falta de vigilância treinada para identificar suspeitos nas proximidades dos terminais facilita que estes, furtivamente, insiram objetos em uma cena que até então, era absolutamente segura e monitorada ao olhar da vítima. Os bandidos utilizam-se dessa brecha para burlar o ambiente pseudo seguro e incutirem um sentimento de confusão nos mais desatentos.

Não confiar em estranhos dentro e fora das agências

Em todos os casos, qualquer situação atípica nas proximidades de caixas eletrônicos deve ser prontamente comunicada à polícia ou agentes de segurança do local para as imediatas providências. Ademais, os bancos advertem exaustivamente dentro e fora de suas agências a desconfiar de pessoas estranhas dentro de seus estabelecimentos e a nunca repassarem qualquer informação sigilosa, como sua senha bancária, a terceiros.