Crimes sexuais costumam revoltar muitas pessoas. Infelizmente, no entanto, eles são bem comuns, até mesmo os que envolvem crianças. Agora, já imaginou se uma pessoa que você gostasse muito fosse estuprada, o que você faria se pegasse a cena em flagrante? Foi isso o que aconteceu com o pai de família da cidade de Planaltina, no Distrito Federal. Com o advento da web, pedófilos passaram a agir em todos os lugares e descobrir, inclusive, onde algumas crianças, que são seus alvos moram. Eles usam uma linguagem infantil para tentar a aproximação e, muitas vezes, inocentes, meninas e meninas acabam criando a ilusão de uma falsa amizade, quando, na verdade, o pedófilo apenas está atrás de uma relação sexual com elas.

Publicidade
Publicidade

No final de semana, o tal pai do Distrito Federal, acabara de chegar em casa do trabalho, quando ouviu os gritos da filha. A menina, de apenas doze anos, pedia socorro. O pai dela então, preocupado, correu até o seu encontro. A garota estava no quarto com um pedófilo, que estava apenas de cueca, pronto para o ataque. Certamente, tal cena não será esquecida tão cedo por aquele pai, afinal, sua herdeira estava prestes a perder a inocência em um ato criminoso. Sites do DF noticiaram o caso, mas preservaram os nomes dos envolvidos, pois o #Crime envolve uma menor de idade. No entanto, vizinhos dizem que, assim como o pai protetor, também ouviram os gritos da menor. Ela estaria desesperada ao ver o desconhecido a tentar agarrar.

A sorte da garota é que, diferente de outras vítimas, ela não entrou no famoso estado de choque, quando as vítimas não conseguem fazer nada, nem mesmo gritar.

Publicidade

A garotinha gritava o mais alto que conseguia, a fim de conseguir uma ajuda, que chegou. O pai entrou no quarto, viu o homem quase nu e tentou conversar com ele. No entanto, o criminoso não queria saber de papo e não saiu da casa do pai de família. Os dois entraram em uma briga corporal. O protetor da menina correu até à cozinha e pegou uma faca. Com uma arma branca, ele atingiu tórax, braços e pernas do agressor, que acabou morrendo a caminho do hospital. #Investigação Criminal