Um #arrastão no centro da capital do #Amazonas forçou o comércio a fechar as portas nesta sexta feira (6), de forma emergencial. Uma correspondente da rádio Amazonas FM que se encontrava no local passou informações no momento do ocorrido por telefone para a emissora de rádio (ouça o áudio), pessoas fotografaram e filmaram tudo. Os momentos de terror logo viralizaram na internet.

Publicidade

Até o momento não se sabe de onde realmente partiram estes criminosos, sabe-se apenas que, com uma boa parte do efetivo da polícia civil em greve, outra parte da polícia militar tomando conta dos presídios e uma boa parte dos detentos foragidos, a cidade está em clima de faroeste estilo Cartagena..

Publicidade

Algumas pessoas estimam que sejam, estes criminosos do arrastão, presidiários que tenham fugido da penitenciária Raimundo Vidal Pessoa (no centro da capital, local onde ocorreu o arrastão), outras acreditam ser uma retaliação das facções criminosas contra a população, uma vez que não há efetivo policial suficiente para fazer o patrulhamento adequado na cidade. Por via das dúvidas, como não sabemos exatamente o número de presos que fugiram durante a rebelião do dia 1º das duas principais (e maiores) penitenciárias do estado, o mais aconselhável é ficar em casa, caso a necessidade de sair não seja extrema.

Ocorre que, com essa atitude, temos agora mais insegurança ao pegar ônibus, ao sair com nossa família. Qual serão os próximos alvos? Os shoppings? As praias e banhos ao redor da cidade? A padaria na rua de nossa casa? Onde realmente estamos seguros?

Enquanto o Governo do Estado estuda uma maneira de reverter esta situação, sem a devida intervenção da Força Nacional, a população tenta conciliar o dia a dia, o trabalho, o inicio do ano letivo, as férias de janeiro, entre outras coisas, para evitar as rotas que os criminosos possivelmente possam fazer pela cidade..

Publicidade

Algumas pessoas tem postado em suas redes sociais que estão indo para o interior do estado para se livrar, pelo menos temporariamente, desta onda de crimes, mas nem todos tem o poder aquisitivo necessário para tal.

Nos resta aguardar uma resposta positiva e uma ação mais enérgica do Governo do Estado. E enquanto isso, ainda estamos tentando adivinhar, onde está Brayan Bremer e sua jaca. #2017