O pastor Valdemar Santos, é o principal suspeito da #Morte da esposa Luciane Santos, de 29 anos. O corpo de Luciane foi encontrado por um agricultor na manhã do dia 31 de dezembro, em Lajeado Pedro, interior da cidade de Saudades, que fica próximo a Pinhalzinho. O cadáver estava com ferimentos de facadas no pescoço e coberto por terras com um cheiro muito forte que chamou atenção do agricultor, que rapidamente desenterrou o corpo. De acordo com algumas provas, o #Pastor Valdemar poderia ter matado a esposa e enterrado o corpo.

Valdemar Santos é pastor da Igreja Assembléia de Deus de Pinhalzinho, ele foi preso na última sexta-feira (13) como principal suspeito da morte de Luciane, que também era Pastora da Igreja Assembléia de Deus do município.

Publicidade
Publicidade

A pastora estava desparecida desde 19 de dezembro, data em que o pastor registrou boletim de ocorrência afirmando que ele e a esposa sofreram um sequestro, e que após os sequestradores conseguirem 14 mil reais da família, liberaram apenas o marido e fugiram com a pastora.

De acordo com informações do delegado Ricardo Guedes durante uma entrevista para a rádio Nova FM, o pastor entrou em contradições várias vezes em seus depoimentos. Os arranhões nas costas dele não aparentavam agressões de homens, mas o que mais chamou a atenção dos policiais foi o fato de Valdemar ter sido liberado e os sequestradores nem se atentarem que o seu celular estava a todo momento com ele.

A polícia encaminhou o pastor para a delegacia pública da cidade de Maravilha, logo após conferir as imagens das câmeras de segurança da cidade.

Publicidade

Nas gravações é possível ver que, no dia do suposto sequestro, o pastor e sua esposa estavam sozinhos no carro. Valdemar estava dirigindo e a pastora no banco do passageiro.

O delegado Ricardo Guedes afirmou que o caso será apurado detalhadamente, mas ele não descarta a hipótese de que o pastor cometeu o #Crime com ajuda de um cúmplice, para ficar com o dinheiro do seguro de vida da esposa. Luciane possuía uma apólice no valor de 300 mil reais que deixaria para o marido ao morrer.