De acordo com um vídeo divulgado por alguns obreiros de uma igreja evangélica da cidade de Botucatu, em São Paulo – e que logo foi apagado da rede social após a repercussão negativa – uma mulher, que segundo alguns veículos de informação é uma #Pastora, aparece quebrando a imagem de #Nossa Senhora com um martelo. Enquanto ela executava o suposto ‘ritual’ com a padroeira do Brasil, muitos obreiros que estavam presentes naquele momento passaram a expressar cânticos evangélicos em apoio à atitude da suposta pastora: “Oh, glória. Não aceito outro Deus, Jesus. Teu nome seja glorificado, Senhor.”, expressavam os presentes.

O vídeo não foi bem recebido pela comunidade católica que, após perceber o que estava acontecendo, reuniu algumas pessoas que foram até a porta da casa da suposta pastora para rezar e levar um momento de oração a ela.

Publicidade
Publicidade

Confira o vídeo que foi apagado do Facebook;

“Abençoa senhor, meu pai, que foi feita pelas mãos do inimigo. Seu nome será honrado e glorificado. Está quebrada, em nome de Jesus”, continuavam a afirmar os obreiros, no momento em que a suposta pastora destruía a imagem da padroeira do Brasil. Alguns católicos de Botucatu afirmaram que desaprovam a atitude e lembraram que o que ela fez pode ser enquadrado como um crime de intolerância religiosa. Já o Conselho de Pastores da Cidade de Botucatu soltou nota afirmando que não se envolveu em tal ato e desaprova tal prática de intolerância religiosa. De acordo com os pastores do Conselho, os envolvidos nesse ato precisarão responder pelo que fizeram.

O Conselho também pediu perdão aos católicos pelo ato ‘vergonhoso’ que a suposta pastora fez com a imagem religiosa, que representa muito para a comunidade católica do Brasil: “Fazendo dessa nota um pedido de perdão aos nossos irmãos e amigos católicos que se sentiram ofendidos com o vídeo de uma prática isolada”, diz a nota.

Publicidade

De acordo com o secretário do Conselho de Pastores de Botucatu, Paulo Cruz, os verdadeiros evangélicos são pessoas que respeitam a diversidade religiosa existente no Brasil e desaprovam a atitude dessa suposta pastora, postada nas redes sociais.