Nesta semana, duas rebeliões chamaram a atenção de toda a mídia. A primeira, em Manaus, deixou 56 presos mortos. A segunda, em Roraima, acabou com 33 falecidos. De acordo com informações do site da Revista Veja, o segundo motim seria uma vingança do Primeiro Comando da Capital, o PCC, uma organização criminosa que ganhou força na cidade de São Paulo. O PCC queria se vingar da Família do Norte (FDN), que matou mais de vinte de seus membros do motim do Amazonas. Para deixar claro que isso realmente era uma vingança, presos vinculados ao PCC gravaram diversos vídeos, nos quais mostram as mortes que provocaram. Muitos deles foram parar nas mãos de familiares dos mortos.

Publicidade
Publicidade

Em um dos mais chocantes, que pode ser visto no Youtube, mas que devido ao alto nível de violência, não publicaremos aqui, mostra os criminosos segurando a cabeça de um presidiário, que havia sido decapitado segundos antes. “Olha aqui o que nós ‘faz’ aqui com você, seu safado. Vocês (bandidos da FDN) mataram os nossos irmãozinhos”, fala um dos bandidos, enquanto segura a cabeça com as as mãos. Em seguida, quem filma a cena vira com o celular e mostra vários corpos mutilados. Os criminosos então chutam os corpos e mostram como funciona o #Crime dentro de uma cadeia, que não tem o controle do estado.

Não para por aí. Com uma faca na mão, o bandido diz que ainda é bonzinho e que vai fechar o olho da vítima, que acabou de ser morta. Eles então enfiam a faca no olho da cabeça que está fora do corpo.

Publicidade

Com a faca extremamente suja de sangue, o grupo escreve no chão 'Aqui é o PCC'. Familiares que receberam esse e outros vídeos se dizem indignados com a falta de segurança até dentro das prisões. Muitos argumentam que não dá para uma pessoa sair bem de uma cadeia em que coisas como essa acontecem. Cinco estados brasileiros agora estão em alerta, já que existe a possibilidade de que rebeliões do tipo possam se espalhar por outros presídios.

Na sua opinião, esse tipo de coisa tem como se controlar? Deixe seu comentário. #Investigação Criminal