Mais uma abordagem policial no Brasil virou notícia nesta semana, dessa vez em Santa Catarina. Postado no Youtube, o vídeo de uma ação da PM local dividiu as opiniões dos internautas, já que os membros da corporação usaram um taser, arma de choque não letal, para render um cidadão que aparece com uma criança no colo.

A PM foi chamada pela mãe do menino de 3 anos que afirmou que o pai do garoto havia invadido a casa e queria levar o mesmo sem autorização. Ao ser abordado, o rapaz de 24 anos, com o filho no colo e bastante alterado, irritou-se com a presença da polícia e usou o menor como escudo para se defender.

Na abordagem, os policiais que atenderam à ocorrência insistem para que o rapaz largue a criança e se submeta ao teste do bafômetro, já que havia a suspeita de que o mesmo estava conduzindo um veículo embriagado.

Publicidade
Publicidade

Depois de se negar a fazer o teste, um dos policias atinge o suspeito com a arma não letal, enquanto ele está sentado no meio fio com o menino que, assustado, chora muito.

Segundo a PM, garoto não foi atingido e passa bem

Na sequência da ação policial, o menino é retirado do pai, que é imobilizado depois do choque. Nas redes sociais, o vídeo ganhou enorme repercussão, gerando polêmica e comentários mais exaltados, tanto de pessoas que defendem a atuação da polícia quanto de outros que acham que a abordagem foi demasiadamente violenta, tendo em vista que havia uma criança envolvida.

A RBS, emissora de televisão local, acompanhou o caso e ouviu a corporação que afirma que o menino não foi atingido pelo uso da arma e que foi devolvido para a mãe em excelente estado de saúde. Não há ainda confirmação dos desdobramentos do caso, exceto pela revolta e comoção que foram externadas nas redes sociais, fazendo com que as imagens fossem compartilhadas milhares de vezes por internautas de todo o país.

Publicidade

Abordagens policias são, frequentemente, tema de discussão na internet, seja pelo uso abusivo de força, de conduta inapropriada ou mesmo pelo êxito da ação, sendo que existem diversos casos publicados em canais específicos sobre esse tema e que sempre geram polarização das opiniões dos usuários da grande rede.

#2017 #Casos de polícia