O juiz Luís Carlos Honorio de Valois Coelho está sendo acusado de ter ligação com a facção Família do Norte (FDN). Responsável pela Vara de Execução Penal do Tribunal de #Justiça, em Manaus, Valois foi chamado para negociar com os presos para que terminassem a rebelião no Complexo Penitenciário Anísio Jobim. O que está intrigando os investigadores, é que o juiz foi pego nas interceptações de comunicações entre membros da facção FDN que a Polícia Federal monitora.

Há fortes indícios de acordos entre o juiz e os líderes da facção. O juiz ajudaria os presos a se libertarem e os presos fortaleceriam a permanência do juiz no cargo.

Publicidade
Publicidade

Tudo está sendo analisado com o máximo de cuidado para que não se chegue a conclusões erradas.

O ministro do Supremo Tribunal de Justiça (STJ), Raul Araújo, disse que essas informações são muito importantes, ainda mais nesse momento de grande crise que o sistema prisional do Amazonas está passando. De acordo com as ligações interceptadas, o magistrado pediu apoio dos presos para que permanecesse na função.

Advogados da FDN

Em alguns diálogos grampeados, a PF flagrou conversas entre os advogados da facção e José Roberto, que seria o líder da FDN. Em uma das mensagens, a advogada Lucimar Vidinha, considerada uma pessoa que é membro do grupo, pede a José Roberto um abaixo-assinado dos presos para favorecer o juiz. Na continuação da conversa, o líder da facção disse para que a advogada conversasse com o juiz e se ele quisesse isso mesmo, a ordem seria dada aos presos.

Publicidade

Segundo o Ministério Público Federal (MPF), o teor dessas conversas mostram bem a participação do juiz para que presos integrantes da facção FDN fossem libertados.

Defesa

Através do seu advogado, o juiz Luís Carlos Valois negou qualquer participação ou envolvimento em organizações criminosas. De acordo com o juiz, os presos chamam ele, apenas por ele fazer parte da vara de execuções penais, nada mais que isso.

O juiz conseguiu, em conversas com os presos, que a rebelião terminasse. Ele disse que o cenário encontrado no local é de grande terror. #Prisão #Brasil