Devido ao período de crise financeira que o Brasil enfrenta, o prefeito Doria, com a finalidade de resguardar #São Paulo, decidiu reduzir os gastos da premiação da tradicional corte carnavalesca. Nesse sentido, quem vencer o concurso terá o valor da premiação reduzido em 90%.

Destaca-se que o evento que elege os representantes da corte terá as inscrições encerradas nesta sexta-feira. Verifica-se que o concurso planeja eleger: o rei Momo, a rainha da folia, as princesas da festa, além do cidadão e cidadã sambista de São Paulo.

O valor pago anteriormente, em 2016, correspondia ao montante de R$ 20 mil para o rei e a rainha; R$15 mil para a primeira e segunda princesas; e R$ 8 mil para o cidadão e cidadã do samba.

Publicidade
Publicidade

Em 2017 haverá um rebaixamento de 90% no valor, sendo repassado R$ 2.000 para o rei e a rainha, R$1.500 para a primeira princesa, R$ 1.300 para a segunda princesa, R$1.000 para o cidadão e cidadã do samba.

De acordo com João Doria, o valor será diminuído levando em consideração a crise econômica do país. Doria afirmou para a SPTuris, empresa municipal de turismo, que o problema financeiro do Brasil afetou todo o país, sendo necessário reduzir os gastos fazendo uma adequação no valor de maneira que não afete a existência do evento.

Crise afeta Carnaval

Levando em consideração os problemas advindos da crise financeira, nota-se que São Paulo não foi o único estado que teve reduções de gastos com relação ao #Carnaval. Líderes políticos de outros estados optaram por diminuir o custo de entretenimento carnavalesco, haja vista a necessidade de economizar ao máximo para ter dinheiro disponível para cumprir as metas.

Publicidade

O fundamento utilizado para a medida de redução dos custos do Carnaval é que a meta de qualquer pessoa que trabalhe na gestão pública é reduzir gastos ao máximo, pois o Brasil encontra-se em um período de recessão.

Diante do exposto, nota-se que o Brasil está passando por um período de crise, sendo necessário promover uma política mais econômica, que almeja reduzir gastos. #João Dória