Conforme anunciado pelo G1, o representado do Tribunal de Contas do Estado de Sergipe e conselheiro Clóvis Barbosa de Melo em comunhão com seu companheiro de trabalho o conselheiro Ulices Andrade em conversação resolveu nesta manhã de terça-feira (10) liberar o acesso às contas da administração da prefeitura de Aracaju. Ação ocorrida depois do prefeito eleito Edvaldo Nogueira juntamente com o secretario de fazenda Jeferson Passos apresentar ao magistrado documentos protocolados pedindo o desbloqueio das contas municipais.

Segundo informações, consta no documento o comprometimento da prefeitura em pagar o 13° #Salário, que está pendente desde ano passado a todos os funcionários do município aracajuano, além da promoção e implantação de uma conduta que reduza os gastos, equilibrando assim as contas desta gestão.

Publicidade
Publicidade

No momento que foi apresentando o documento, o conselheiro Clóvis Barbosa e Ulices Andrade, o prestador de contas do município de Aracaju não encontrou motivos para que os pagamentos continuem bloqueados, certo de que as exigências reivindicadas pela associação sindical que contestaram na #Justiça foram aceitas.

“O TCE decidiu o bloqueio das contas na gestão passada por motivo do não cumprimento no acordo estipulado pela justiça que consistia em pagar os vencimentos, hoje realizado pela gestão atual demonstrada por meio de documentos. Naquele período, em novembro, o Tribunal de Contas do Estado, fez o bloqueio das contas por não haver os pagamentos dos vencimentos dos funcionários além da gravidade em grande proporção que se instalava naquela administração” revelou o conselheiro Ulices.

Sobre os atrasos nos vencimentos, uma comitiva da associação sindical dos funcionários municipais foi até o TCE pedir novamente o bloqueio das contas, alegando que o prefeito não tinha ainda realizado o pagamento dos vencimentos referente ao mês de dezembro.

Publicidade

Conforme o gestor haverá um novo encontro entre representantes de ambas às partes no dia 20 deste mês, para tentar chegar a um acordo, onde serão apresentadas medidas sobre os vencimentos e folhas, além da formulação do calendário que apresente soluções de normalização nas datas e pagamentos vindouros pela prefeitura.

O presidente do Tribunal de Contas explanou que as associações sindicais foram solícitas dando um voto de credibilidade ao administrador que tem apenas 10 dias de governo dando mais um prazo para que o prefeito regularize essas pendências e marcando uma nova reunião para o dia 20, onde discutirão sobre suas manifestações e atrasos salariais. #sergipe