Neste último domingo (08), um vídeo gravado dentro do centro prisional Colônia Penal Feminina, no Recife, começou a circular na internet e impressionou pela liberdade das detentas dentro da prisão. Nas imagens é possível ver uma festa realizada pelas presidiárias em que as mesmas aparecem usando telefones celulares, consumindo álcool e drogas. As cenas foram feitas por uma das detentas que também participava da festa, intitulada por ela mesma de “Bonde do Prato”, uma referência clara ao uso de cocaína. O presídio fica no Engenho do Meio, na zona Oeste, e parece ter perdido totalmente o controle, um sinal em meio à crise de todo o sistema prisional que ocorre nesse momento no país.

Publicidade
Publicidade

Segundo as autoridades que coordenam a unidade em que as filmagens aconteceram, a ‘festa’ seria em comemoração ao aniversário de uma delas, e aconteceu na virada do ano do passado. Somente essa semana que as filmagens foram divulgadas e chegaram às mídias através de Whatsapp. As cenas impressionam pela liberdade com que elas usam celulares. É possível ver várias delas ao longo do corredor do pavilhão tirando fotos, falando ao telefone e enviando mensagens. Além disso, diversas detentas aparecem consumindo cocaína e a maioria das presentes tinha um copo de bebida alcoólica nas mãos. Pela diversão era como se elas estivessem do lado de fora, dançando para as câmeras com música bastante alta.

As autoridades se manifestaram diante das gravações, segundo o secretário de Justiça, desde que se ficou sabendo das imagens, as presas identificadas já foram punidas.

Publicidade

Como se não bastasse o total descontrole, vale lembrar das duas rebeliões recentes em presídios do Amazonas e Roraima que deixaram respectivamente cinquenta e trinta e três presos mortos, agora essas cenas aparecem para mostrar um verdadeiro abismo que existe no nosso sistema de segurança. Para Pedro Eurico, responsável pela secretaria, o fato dessas imagens existirem, e de terem sido divulgadas nas redes sociais pelas próprias detentas é uma afronta à nossa forma de punir os criminosos. Segundo o mesmo todas as nove presas identificadas nas cenas foram punidas e deverão ter suas penas aumentadas. O presídio feminino do Recife, também sofre com a superlotação, com cerca de quatrocentas detentas a mais do que o suportado no local.

#Crime #Investigação Criminal