A presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Carmem Lúcia, deu sinal verde para que juízes auxiliares e assessores de #Teori Zavascki prossigam com as delações que fazem parte do cronograma de investigações da Operação Lava Jato. Morto em um #Acidente aéreo em Paraty, no Rio de Janeiro, na semana passada, Teori era o relator da Lava Jato no STF.

Ainda que os trabalhos tenham ganho aceno de continuidade, falta à ministra Carmem Lúcia definir como se dará o processo de escolha do sucessor de Teori no STF. Uma das possibilidades ventiladas é fazer o sorteio do processo entre os membros da chamada "segunda turma", na qual fazem parte Gilmar Mendes, Celso de Melo, Dias Toffoli e Ricardo Lewandoswki.

Publicidade
Publicidade

Ainda não há uma definição sobre o tema.

O fato é que o cronograma de delações estabelecidos por Teori antes de sua morte será cumprido. A partir desta quarta, 25, auxiliares do ex-ministro comandarão as audiências dos delatores da empreiteira Odebrecht, que são 77, no total. Não deverá haver atraso naquilo que foi projetado pelo ex-ministro.

Nesta terça-feira, peritos da Aeronáutica que tiveram acesso à caixa-preta do avião ventilaram a possibilidade de "desorientação espacial" do piloto Osmar Rodrigues, o que teria originado a queda. Ainda não há um laudo oficial sobre a tragédia que matou o ex-ministro Teori Zavascki e mais quatro pessoas.