Nessa semana, as rebeliões nos presídios brasileiros saíram um pouco do noticiário. Tudo isso muito graças à morte do Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Teori Zavascki, em uma queda aérea. No entanto, o fato dos crimes "sumirem" um pouco do noticiário não significa que eles não existam. Pelo contrário, os detentos fazem o que querem. O UOL noticiou neste domingo, 22, por exemplo, que em Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, onde 26 presos foram mortos, os detentos tem até mesmo as chaves das celas em que ficam morando. Eles ainda determinam quando ou não os locais podem ser periciados.

A Polícia Federal, ao fazer uma perícia externa na penitenciária descobriu dois túneis.

Publicidade
Publicidade

O presídio fica em cima de dunas, o que facilita as fugas. Mesmo com inúmeros alertas de especialistas, os governantes da época insistiram na ideia e o problema está como podemos observar na atualidade. Neste domingo, o site 1 News publicou um vídeo que teria sido gravado em Alcaçuz. Ele mostra detentos fazendo um churrasco. Eles, que deveriam estar reclusos, fazem uma celebração e dizem que mataram membros do Primeiro Comando da Capital (PCC), confessando assim serem da facção rival do presídio, a Família do Norte (FDN). Para tentar diminuir a violência em São Paulo, detentos que pertenciam ao PCC foram espalhados em cadeias de todo o Brasil. O #Crime em São Paulo não diminuiu, mas a situação nas cadeias se tornou caótica.

Sem limites para o crime

No vídeo divulgado pelo 1 News, os presos dizem que fazem um churrasco de carne de PCC, indicando que a carne que eles vão ingerir é humana.

Publicidade

Eles ainda zombam dos mortos. Um diz que foi divertido fazer os outros gritarem. Nem mesmo grandes grupos terroristas, como o Estado Islâmico, tem o costume de serem canibais. No entanto, os criminosos brasileiros parecem não ter o menor limite na barbaridade.

Veja abaixo o vídeo que mostra a barbárie. Atenção, as imagens são consideradas fortes por algumas pessoas. Por isso, deixamos o alerta aos leitores da Blasting News.

#Investigação Criminal