Uma fuga em massa foi registrada na madrugada deste domingo, 15, na Penitenciária Estadual de Piraquara I. O presídio fica localizado na região metropolitana da capital do Paraná, Curitiba. Segundo as primeiras informações, pelo menos vinte e três detentos conseguiram escapar do local após usarem uma ou mais bombas e explodirem parte do presídio. A explosão foi capaz de abrir um enorme buraco, em um dos muros da unidade. Os policiais tentam reencontrar os detentos. Na corrida atrás deles, pelo menos dois já foram mortos pelos agentes. Ao final da reportagem, o leitor pode ver um vídeo que mostra como ficou o muro após a explosão. Nele, é possível ver que a estrutura é muito alta e que é formada por uma guarita, na parte de cima.

Publicidade
Publicidade

Mesmo assim, os presidiários conseguiram fugir sem serem incomodados .

De acordo com informações do site da revista Veja, em reportagem publicada neste domingo, a polícia militar agora usa todos os seus recursos para encontrar os detentos. Um helicóptero, por exemplo, sobrevoa a região. Além disso, a PM conta com a ajuda da Polícia Rodoviária, que está parando diversos carros suspeitos. No entanto, como a fuga aconteceu há horas, existe até a possibilidade para que os suspeitos nem estejam mais na capital do Paraná. A fuga aconteceu horas depois de outro motim, na Bahia. Por lá, muitos presos também fugiram. Uma outra rebelião também acontece no Rio Grande do Norte. Pelo menos dez presos foram assassinados. Nas duas primeiras semanas do ano, motins no Amazonas e em Roraima terminaram com quase 100 presos assassinados.

Publicidade

Segundo a revista Veja, no caso de Curitiba, Presos da Casa de Custódia de Piraquara iniciaram um tumulto. Ele foi apenas para chamar a atenção dos agentes. Como o efetivo foi ver o que acontecia, os vinte e três presos fugiram. A prisão é administrada integralmente pelas forças públicas e nela tinham 640 presos. A sua capacidade de detentos não foi revelada.

Veja abaixo um vídeo gravado pelos agentes penitenciários que mostra o muro pelo qual os presos fugiram.

#Crime