Dois juristas opinam sobre supostos motivos do acidente que matou o Ministro e Relator da Lava Jato #Teori Zavascki, na tarde desta quinta-feira (19/01).

Causas da queda do avião

Desde o momento em que foi anunciada na mídia a queda do avião bimotor de prefixo PR-SOM, e que nele estava o Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e também relator da operação Lava Jato, Ministro Teori Zavascki, vem gerando dúvida quanto à possibilidade do acidente ter sido atentado.

Isso porque já foi divulgado nas redes sociais um furo de reportagem que mostra que os dados do avião foram acessados 1865 vezes nos últimos dias.

Um dado divulgado pela ANAC revela que a documentação da aeronave estava em dia e que sua documentação de manutenção anual estava válida até abril deste ano (2017).

Publicidade
Publicidade

O que inflou a suspeita do ato ter sido atentado, é que o relator no STF Teori Zavascki iria protocolar, em poucos dias, os depoimentos de delação premiada dos 77 réus ligados a Odebrecht, que foram disponibilizados ao Ministro Teori em dezembro de 2016.

Em entrevista à Rádio Guaíba, de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, o renomado Jurista Fábio Konder Comparato disse, em outras palavras, que duvida que em curto prazo a verdade sobre os fatos sejam reveladas.

Palavras do jurista e professor emérito da USP Fábio Konder Comparato:

“O processo da Lava Jato chamou atenção do público no mundo inteiro e agora entraria em uma fase decisiva com as delações dos funcionários da Odebrecht. É justamente neste momento em que morre o relator. É um fato muito estranho e todos os recursos devem ser utilizados para investir como e porque caiu esse avião”

Comparato é um dos juristas mais respeitados no Brasil, já foi ligado ao Partido dos Trabalhadores (PT), se desfiliou e tornou-se crítico do ex-presidente Lula.

Publicidade

O jurista Fabio Comparato também afirmou na mesma entrevista que o Ministro Teori Zavascki será substituído rapidamente, que provavelmente seja um nome indicado de pouca atenção na mídia, para não aumentar as suspeitas sobre as causas do acidente.

Um segundo jurista que também emitiu sobre o assunto, Ives Gandra Martins, disse que qualquer Ministro que o Supremo Tribunal Federal (STF) indicar terá que ler e estudar o caso desde o início, que são mais de 900 delações para avaliar e que, com certeza, irá demorar meses para que o caso seja retomado. #Acidente aéreo #acidente aéreo com o ministro teori zavascki