Na noite desse domingo (15), foi confirmada, pela Secretaria do Rio Grande do Norte, a #Morte de 26 presos na rebelião ocorrida na Penitenciária de Alçacruz. A confusão que ocasionou na #Rebelião de presos foi iniciada na noite do sábado e foi controlada no domingo, porém, a força policial (policiais militares e agentes penitenciários) não conseguiram evitar as mortes.

Walber Virgolino, Secretário de Estado e Justiça e Cidadania do Rio Grande do Norte, se manifestou através de uma entrevista coletiva e disse que um caminhão-frigorífico para transportar os corpos foi autorizado a ir ao local, muitos corpos foram decapitados e mutilados.

Publicidade
Publicidade

De acordo com o secretário, a rebelião já foi controlada e os líderes da rebelião foram identificados e já foram transferidos para outra penitenciária.

Virgolino também admitiu que os pavilhões estavam superlotados e que essa superlotação dificultou a fiscalização da entrada de armas dentro da penitenciária. A duração total da rebelião foi de 14 horas, e não houve nenhum registro de mortes de policiais ou de agentes penitenciários.

Muitos familiares de presos se revoltaram do lado de fora, pela falta de informação e tentaram chamar a atenção da polícia queimando um sofá, mas os policiais evitaram e conseguiram controlar a manifestação. A causa da rebelião ainda não foi confirmada, mas muitos acreditam que se trata da guerra de facções, assim como ocorreu em Manaus no começo do mês.

Destruição da penitenciária

Muitos presos queimaram colchões e destruíram pavilhões, inclusive os bloqueadores de celulares instalados no presídio.

Publicidade

No momento do motim, muitos presos subiram no telhado da penitenciária para demonstrar poder e domínio da penitenciária perante a imprensa que estava no local. As imagens foram transmitidas ao mundo, através da imprensa estrangeira e mais uma vez, a repercussão negativa do país tomou conta dos telejornais internacionais.

Michel Temer

O presidente da República, Michel Temer usou seu perfil pessoal no Twitter para se manifestar sobre mais uma massacre. Ele afirmou que acompanha a rebelião desde sábado a situação e determinou que Alexandre de Moraes, Ministro da Justiça, preste todo o auxílio necessário do governo federal para o governo do estado do Rio Grande do Norte. #Crime