Um novo fato histórico aconteceu no #Brasil neste mês de janeiro. Pela primeira vez na história, um remédio a base de maconha vai ser comercializado no Brasil. O produto é para pessoas que tem esclerose múltipla, doença rara na nação brasileira, com apenas 150 mil casos por ano. Essa doença afeta principalmente pessoas acima de 14 anos de idade. Tem como sintomas a perda da visão, dor, fadiga e comprometimento da coordenação motora. Os sintomas dependem de pessoa para pessoa, algumas podem sentir apenas por um determinado tempo, outras podem sentir pelo resto da vida.

Infelizmente, essa doença não tem cura, mas a medicina propõe soluções para o não agravamento da doença, como a fisioterapia e medicamentos. Sabendo disso, a Anvisa permitiu a distribuição do medicamento Mevatyl, ele é a base de tetraidrocanabinol (THC) em concentração de 27 mg/mL e canabidiol (CBD) em concentração de 25 mg/mL.

Publicidade
Publicidade

Esse medicamento será enviado para o Brasil no segundo semestre deste ano. Ele vai ajudar no controle do sistema imunológico, que corrói as bainhas protetoras que cobrem os nervos. O remédio a base de maconha, além do Brasil, já é aprovado em outros 28 países, como Estados Unidos, Alemanha e Suíça.

O Brasil é um país muito grande, e tem como "consequência" a divergência de opiniões. Em todos os tipos de assuntos, o Brasil está sempre dividindo opiniões. E com a liberação da maconha não seria diferente. Muitos brasileiros que são contra o uso da maconha estão preocupados que a liberação dessa nova droga possa abrir as portas para a liberação da maconha. Vale lembrar que foi apenas um medicamento a base de maconha que foi liberado, e não a droga em si.

Até o momento, não há relatos sobre a liberação da maconha, mas a mesma vem sendo liberada no mundo inteiro cada vez mais.

Publicidade

"Pode parecer outra bobagem, mas o valor agregado da produção de maconha para os agricultores é muito maior que o de tabaco e outros produtos. E como a cannabis se desenvolve com facilidade em diferentes lugares, sua produção poderia ser dirigida a áreas mais carentes da federação o que faria melhorar o desenvolvimento agrícola em áreas mais inóspitas.", disse Renato Rovai, para a Revista Forum.

Deixe a sua opinião nos comentários se a maconha deveria ou não ser liberada no Brasil. #drogas #Medicina