Um comentário insensato e repugnante, assim foi classificado pela maioria das pessoas que tiveram o desprazer de dar de cara com uma postagem feita pela professora Denise Oliveira, de 33 anos, onde ela afirmou que a morte da pequena #SOFIA Lara, de 2 anos, foi uma espécie de "justiça divina".

De acordo com o portal de notícias online do jornal Extra, procuraram na manhã desta quarta-feira (25), a Delegacia de Repressão a Crimes de Informáticas (DRCI), onde buscaram orientações de como denunciar a professora que praticamente se vangloriou da morte da criança e ainda fez sérias acusações contra o pai da vítima que é um militar.

Publicidade
Publicidade

Saiba mais aqui.

Justiça divina

Diante de uma tragédia que comoveu o Brasil, a professora de história da rede pública do #Rio de Janeiro, fez uma postagem na qual ela considerava a morte da pequena menina como uma "justiça divina", pois segundo Denise, a morte de Sofia, servia como um tipo de prestação de contas diante das vítimas de suposta #Violência policial. Isso porque o pai da garota é um policial militar. O post foi compartilhado milhares de vezes e ela sofreu duras críticas por causa de sua postura.

Além de tratar com desdém a morte terrível da menina, ela acusou o pai da garotinha de ter participado de uma chacina que aconteceu em novembro de 2015, na comunidade de Costa Barros, onde cinco jovens perderam a vida.

A professora chegou a dizer que "ontem a dor de uma família, hoje a dor é na sua família".

Publicidade

Revolta

Hércia Fernandes e Felipe, pais de Sofia, estão inconsoláveis e muito revoltados com a professora Denise, que depois da repercussão negativa, tirou seu perfil do Facebook, mas já era tarde demais, pois a postagem já tinha viralizado.

A mãe da pequena, muito emocionada disse que além de ter que passar por este momento de dor extrema ainda tem que se deparar com uma atitude dessa. "Essa mulher riu de uma criança morta". Hércia ainda afirmou que neste momento ela tem mais ódio da professora do que do bandido que matou sua filha de nameira não proposital.

Felipe também se disse indignado, pois além da perda prematura da filha e diante de tanto sofrimento, ainda foi acusado de participar de uma chacina.

A professora chegou a pedir desculpas aos pais de Sofia através de uma mensagem no Facebook, ela disse que não é mãe e por isso não consegue dimensionar a dor da família neste momento.

O pai e mãe de Sofia, fizeram a queixa crime de calúnia e querem que a justiça seja feita.