Menos de uma semana depois do trágico #Acidente aéreo que tirou a vida de #Teori Zavascki, ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), as causas da tragédia ainda não estão totalmente claras. Mas, segundo uma análise preliminar do áudio da cabine de voo do avião, realizada por técnicos da Aeronáutica, a hipótese mais viável é que o piloto Osmar Rodrigues - que também faleceu - tenha sofrido uma "desorientação espacial".

A desorientação acontece quando o piloto perde a referência entre o tamanho do avião e a distância com relação ao solo. No caso, o King Air C90, que levava Teori e mais quatro pessoas, se chocou contra o mar nos arredores da localidade de Paraty, no Rio de Janeiro.

Publicidade
Publicidade

Um relatório preliminar será divulgado nos próximos dias e a conclusão final da causa do acidente será dada após a análise no avião, em especial nos seus dois motores.

As investigações do acidente da última quinta-feira estão sendo coordenadas pelo Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos, o Cenipa, que é órgão de referência no quesito aviação no Brasil. Preliminarmente, os investigadores acreditam que Osmar voava a cerca de 150 a 200 pés no momento da queda, o que dá aproximadamente de 45 a 60 metros de altitude, estando, portanto, bem próximo do mar no Rio de Janeiro.

Um técnico do Cenipa, em depoimento ao jornal Folha, fez a leitura de que o piloto estava "ciscando" em busca de um lugar para pousar e isso explicaria a proximidade com a água. Sem sucesso na sua busca por um pouso forçado, Osmar Rodrigues, desamparado por estar sem um copiloto, acabou tocando com uma das asas do avião na água e isso fez com que a aeronave cedesse, matando todos os cinco integrantes.

Publicidade

Os peritos da Aeronáutica já analisaram as gravações da cabine de voo e informaram que a caixa-preta "não apontou qualquer tipo de anormalidade" no funcionamento do avião. Há a informação de que o piloto Osmar Rodrigues comentou sobre a chuva que caía no local durante a queda, mas não há relatos ou indícios de pânico ou animosidade no interior da aeronave mesmo minutos antes do acidente.

Há relatos de que houve a tentativa de pouso por parte do piloto, sem sucesso. A gravação aponta que, em determinado momento, Osmar mencionou um suposto "setor Eco", que indicaria conversão ao lado leste. Na sequência, ele diz "final" como forma de se preparar para aterrissar. Nenhuma expressão de emergência ou pedido de ajuda foram detectadas pelos peritos.

Como não existe torre de controle na cidade de Paraty, os pilotos que ali pousam o fazem de maneira visual e conversam entre si para ajustarem a orientação e a coordenação. O avião tinha destino à casa do empresário Carlos Filgueiras, empresário proprietário do hotel Emiliano e amigo íntimo de Teori Zavascki.

Publicidade

Além do empresário e dono do avião, e do ex-ministro do STF, Teori Zavascki, morreram no trágico acidente o piloto Osmar Rodrigues, a massoterapeuta Maira Lidiane Panas Helatczuk e sua mãe Maria Panas. Zavascki era o relator da Operação Lava-Jato dentro do STF e estava perto de homologar delações importantes para os rumos das investigações.