O #senado Federal divulgou que barulho animal prevê três meses de prisão e recebeu ataques no Facebook.

Na noite desta terça-feira (24), a página oficial do Senado Federal na rede social publicou uma arte alertando aos internautas que provocar ou não procurar impedir barulho produzido por animal prevê prisão de até três meses para quem possui a guarda do animal.

A legenda da imagem diz:

"Art. 42. Perturbar alguém o trabalho ou o sossego alheios: I – com gritaria ou algazarra; II – exercendo profissão incômoda ou ruidosa, em desacordo com as prescrições legais; III – abusando de instrumentos sonoros ou sinais acústicos; IV – provocando ou não procurando impedir barulho produzido por animal de que tem a guarda: Pena – prisão simples, de quinze dias a três meses, ou multa (...)"

O público não recebeu bem o alerta e não demorou a criticar o artigo nos comentários.

Publicidade
Publicidade

A maioria reclamava que outros barulhos soavam muito mais invasivos ao público e a lei era ineficaz nesses casos, como os de fogos de artifício e som alto em carros. Outros reclamaram do artigo em si, alegando que o barulho animal é algo natural e que não pode ser impedido.

"E bebê chorando? Também dá cadeia não calar a boca do bebê?! Isso é ridículo! Animais são seres vivos que não tem como 'calar a boca' simplesmente!", dizia um comentário, bastante curtido. Outro criticava: "Nossa, que lei mais ridícula! Parece que vivo em outro planeta! Se um passarinho numa árvore cantar, vou denunciar a quem? À Polícia Ambiental por permitir que pássaros cantem?"

O tom de reclamação seguiu por toda a seção de comentários, sendo que os que mais repercutiram receberam mais de mil curtidas e diversas respostas.

Publicidade

"Quando a sociedade não reconhece o valor moral da lei, ela perde o valor. Os eventos da prefeitura geralmente são muito barulhentos, e nem por isso o prefeito vai preso" e "Fogos durante horas em dias de jogos de futebol, madrugada adentro, ninguém fiscaliza. Não adianta nem fazer boletim de ocorrência. Para que ter uma lei que não se faz cumprir?" eram outros dos muitos curtidos, refletindo o descontentamento do público diante da ineficácia e incoerência das leis. #Polêmica #Constituição