O #Pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, passou por momentos de tensão, nesta quarta-feira (18). O líder foi resgatado de um barco, que ficou à deriva no #Litoral norte de SP, por um período de 12 horas. O pastor, apesar do grande susto, passa bem.

Por volta das 22 horas de terça-feira (17), o Corpo de Bombeiros recebeu um chamado de socorro. Segundo relatos, eles foram avisados de que uma embarcação com três pessoas estava com uma pane elétrica, próximo à Ilha Bela.

O barco só foi encontrado às 5h e todos os tripulantes estavam bem.

Lancha

A lancha, que sofreu a pane, é uma embarcação de dois cascos própria para a vela esportiva e transporte rápido de passageiros ou de carga.

Publicidade
Publicidade

Uma lancha dessa é caríssima. Os valores oscilam entre um milhão de reais e pode passar até de cinco milhões de reais. Ela tem capacidade para 150 passageiros.

O #Resgate disse que na embarcação tinham cinco pessoas e não três como haviam dito no chamado de socorro. Não se sabe se a lancha é do pastor.

A demora do resgate em chegar até eles, foi devido um erro de localização. Os bombeiros estavam procurando eles numa distância de cerca de treze quilômetros do local. Alguém passou as informações um pouco equivocadas.

Todos eles foram levados para Ilha Bela e mais tarde a embarcação iria ser recuperada. Os tripulantes não tinham nem um sinal de desnutrição e de ferimentos. Foi na verdade um grande susto.

Ataque no culto

No começo deste ano, o pastor Valdemiro Santiago foi alvo de um ataque dentro de sua igreja.

Publicidade

Ele foi esfaqueado nas costas e no pescoço durante um culto. Ele levou 20 pontos e recebeu alta no mesmo dia.

O responsável pelo ataque foi Jonatan Gomes Higino, de 20 anos. Ele foi rendido pelos seguranças da igreja e a polícia foi chamada. O suspeito afirmou aos policiais que o pastor havia o desafiado durante uma pregação.

Após se recuperar do ataque, Valdemiro gravou um vídeo dizendo que sua camisa ensanguentada estava causando milagres e vários fiéis ficaram eufóricos em relar a mão na camisa.