Os moradores de Teresina, no Piauí, viveram momentos de aflição e terror nessa manhã de terça feira, 3, durante a ocorrência de um #Terremoto na cidade. Dados obtidos no observatório Sismológico da #universidade de Brasília mostram que a magnitude do tremor foi de 4,7 graus célsius na escala Richter, que atingiu também outros estados além do Piauí, como o Maranhão. Segundo relatos de pessoas que presenciaram o fenômeno, era por volta de 9h45 da manhã quando de repente as coisas começaram a tremer. A sensação foi de que o chão tremia muito, mesas, cadeiras, armários e camas foram balançadas, objetos caíram

Pessoas que se encontravam dentro de estabelecimentos comerciais, repartições publicas, prédios, casas, ônibus saíram correndo, gritando, desesperadas sem saber o que estava realmente acontecendo.

Publicidade
Publicidade

Outros ficaram com receio de algo pior acontecer, como deslizamentos ou soterramentos. O abalo sísmico durou por volta de 15 minutos, mas o suficiente para disseminar o pânico e a insegurança entre a população de Teresina. Esses eventos são raro de acontecer no #Brasil.

Segundo confirmou o coordenador da defesa civil, Vitorino Tavares, o epicentro do terremoto foi no Norte da cidade de Várzea Grande, no Maranhão, que fica localizado a 230 km de Teresina e 90 km de são Luís. Ele percorreu um raio de 200 km e foi sentido também em Fortaleza, São Luís, Caxias, Timon. Foi ocasionado por uma acomodação de placas, a defesa civil estabeleceu que os prédios públicos fossem evacuados para ser realizado uma vistoria.

Segundo o geólogo Sidney Barros, do Ministério de Minas e Energia, apesar de haver chances de que volte a ser sentindo tremores de terra, não tem como afirmar que isso realmente irá ocorrer novamente, pois está ligado ao sistema de falhas terrestres.

Publicidade

Episódios dessa proporção só costumam acontecer há cada cinco anos.

Estudiosos afirmam que esse foi o abalo sísmico de maior magnitude sentido até hoje na região, o último tremor que havia sido registrado em Teresina ocorreu em 2008.