O Brasil ainda está chocado com a rebelião na penitenciária de Manaus, ocorrido há quatro dias, onde houve a morte de 60 presos. As autoridades do Amazonas informaram que o massacre foi efetuado pela facção 'Família do Norte', ligado ao 'Comando Vermelho', contra os integrantes do 'Primeiro Comando da Capital' (PCC).

A Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) informou que até o momento foram contabilizadas 33 mortes, encontrados nessa madrugada de sexta-feira (6), na #penitenciária agrícola de Monte Cristo, que está localizada na zona rural de #Roraima. Conforme informações do Governo do Estado, o ocorrido foi por volta das 2h30, horário local, 4h30 no horário oficial de Brasília.

Publicidade
Publicidade

Este é o maior presídio do estado de Roraima, a população carcerária estava em torno de 1.400 detentos, mais que o dobro da sua capacidade.

Em outubro já havia ocorrido uma rebelião

Em outubro do ano passado houve, nesta mesma penitenciária, uma rebelião na qual 25 presos morreram. Esta situação anterior foi em decorrência de uma briga entre lideranças de facções criminosas, conforme informações da Polícia Militar de Roraima; presos do 'Primeiro Comando da Capital' (PCC) invadiram a ala onde estavam integrantes do 'Comando Vermelho' e iniciaram os confrontos.

O Governo Federal, após esta #Rebelião de outubro, ordenou a transferência de 16 líderes das facções criminosas para a penitenciária de Boa Vista. Após aquele ocorrido, o Estado solicitou a construção de mais um presídio e o Ministério Público de Roraima solicitou à Procuradoria-Geral da República que o Governo Federal intervisse no sistema.

Publicidade

Situação sob controle, conforme Sejuc

A Sejuc emitiu nota informando que o Batalhão de Operações Especiais (Bope) e a Polícia Militar (PM) estão no local e que a situação está sob controle. Não há informações sobre fugas do presídio mas, como cautela, o policiamento da capital está recebendo reforços. No momento, não há maiores informações da situação de dentro da penitenciária, pois foi efetuado um cerco de segurança, nem confirmação do que motivou esta nova rebelião.

Há informações, ainda não confirmadas, que na terça-feira (3), o Amazonas teria emitido um alerta para Roraima da possibilidade de confrontos entre presos nas unidades do estado. O Governo Federal está antecipando, em caráter de urgência, um plano nacional de segurança a ser adotado para reduzir estes casos.