Um vídeo registrado por uma câmera de segurança registrou o exato momento em que um motociclista é surpreendido por um assalto à mão armada.

Mas este não é apenas mais um #Crime contra o patrimônio na escalada de ocorrências policiais. O inusitado das cenas é a maneira como a vítima é abordada.

As imagens mostram inicialmente o dono da moto se preparando para retirá-la de onde ficou estacionada. Em segundo plano está um garoto que aparenta não ter mais do que 14 anos de idade. Ele anda na calçada segurando um envelope pardo, desses que os trabalhadores aprendizes costumam levar para cima e para baixo de repartição em repartição.

Publicidade
Publicidade

Mas o que parecia ser um inocente office-boy a caminho de mais uma tarefa se revelou em um trabalhador do crime. O envelope teve a função de não levantar suspeitas de potenciais vítimas e também de ajudar a esconder a arma que carregada na cintura de um corpo franzino, coberto por uma camiseta que talvez não consiga esconder totalmente o volume do objeto.

Ao se deparar com o motociclista distraído, mexendo na bagagem presa ao veículo, o menino saca a arma da cintura e se aproxima da vítima, anunciando o assalto. Rapidamente o comparsa do garoto, que parece ser maior de idade, aparece para ajudar a executar o roubo. Ele estava escondido atrás de uma árvore, próximo ao local.

O detalhe é que este segundo meliante está vestido com camisa social e também leva algo como uma pasta embaixo do braço.

Publicidade

A vestimenta e caracterização dá a impressão que se trata de mais um jovem em busca de emprego ou, talvez, de um estudante a caminho do curso.

Diante da intimidação da dupla, o motociclista faz o que é recomendado pelas autoridades policiais nesses casos: não resiste e entrega tudo aos bandidos. O que está nos bolsos e até o capacete e subtraído.

Os marginais agem rápido e conseguem dar a partida na moto sem maiores problemas, dando por encerrada a tarefa. Ao motociclista só cabe ir embora com a expressão de lamento pelo patrimônio levado.

O vídeo foi divulgado pela polícia, mas não há em seu conteúdo informações do local onde a ocorrência foi registrada.

#Investigação Criminal