Infelizmente, um dos crimes mais comuns em todo o planeta são os relacionados a abusos sexuais. De acordo com informações do portal de notícias R7, em reportagem publicada nesta terça-feira, 21, dois homens oriundos da Argentina foram presos sob a acusação de darem uma surra em um empresário, dono de um pequeno empreendimento hoteleiro na região do Pelourinho, na capital do estado da Bahia, Salvador. Segundo a matéria do site vinculado à Record TV, os homens teriam destruído parte do hotel após acusarem o dono do local de estupro. Os hermanos decidiram perder a cabeça, quando supostamente o proprietário do estabelecimento teria dado em cima de uma das mulheres do grupo.

Publicidade
Publicidade

Eles acusaram ainda o homem brasileiro de estupro.

Em entrevista à Record, o dono da pousada, identificado como Alessandro Lima, deixou a delegacia com alguns machucados no rosto e também mancando um pouco. Na conversa com os jornalistas da emissora de Edir Macedo, ele negou qualquer acusação e revelou que a briga começou, na verdade, porque os argentinos não queriam pagar pelo serviço oferecido pelo hotel. Ao todo onze homens teriam batido no homem brasileiro. Todos eles acusam o empresário de estupro. Do grupo, de nove argentinos e dois chilenos acabaram revelando as mesmas informações. Todos eles estavam hospedados no mesmo hotel. Eles afirmam que somente perderam a cabela, quando Alessandro teria tentado estuprar uma das mulheres.

O portal de notícias da Record publicou algumas fotos do local e deu o que falar.

Publicidade

No estabelecimento, muitas coisas estavam quebradas, como colchões revirados e beliches. Pedaços de vidro também estavam jogados no chão. Outros prejuízos também foram registrados no local, como corrimões e janelas quebradas. A tela de um televisor também foi destruída. Os policiais, ao chegarem ao hotel, foram enfrentados pelos argentinos. Eles ainda teriam feito ofensas racistas aos agentes da lei.

E você, o que achou desse #Crime? Deixe seu comentário. Ele é sempre muito importante para todos nós. #Investigação Criminal