As #Redes Sociais, quando não utilizadas com os devidos cuidados, podem trazer grandes prejuízos à educação dos filhos. Muitos pais, pela falta de tempo ou até mesmo por desleixo, acabam deixando os filhos com acesso livre e ilimitado às redes.

Sabe-se que para se criar contas na grande maioria dessas redes sociais é exigido que a pessoa tenha mais de 18 anos. Mas isso não é empecilho para a maioria dos jovens. Um fato curioso envolvendo redes sociais e jovens menores de 18 anos está sendo muito comentado na internet.

Uma mãe, que tudo indica participativa na vida social da filha, descobriu que a menina de apenas 12 anos estava participando de um grupo no Facebook de teor sexual. A mãe, que é de Vila Velha (ES), assim que descobriu, decidiu dar um basta na história e castigar a filha.

Em texto escrito pela mãe da garota, ela explica os motivos pelos quais é contra a participação da filha em tais grupos. A mãe inicia o texto se apresentando como Flávia e dizendo que a menina se chama Rafaely. Flávia disse que a filha ficará por tempo indeterminado sem celular e internet.

A mãe chegou a listar os motivos pelos quais decidiu castigar a filha. Primeiro, a mãe disse que já havia pedido à menina para não postar nas redes sociais nenhuma foto sensual, e ela acabou não cumprindo o combinado. Segundo, a mãe disse que a filha precisa aprender a se respeitar para, assim, pedir respeito.

Continuando com o texto, Flávia disse estar muito decepcionada com a atitude da filha. Ela relatou que sua família é descente e, portanto, não aceita esse tipo de comportamento. “Estou criando uma moça e não uma piranha, me perdoem a expressão”. A mãe, ainda, justifica o castigo dado à filha alegando ser o melhor para a menina.

Flávia ainda resolveu mandar um recado para as mulheres que criaram o grupo. Ela diz à administradora que o grupo tem fortes influências de prostituição e que caso ela não apague as fotos e comentários da sua filha, iria tomar providências a respeito. “Isso pode lhe trazer consequências sérias, pois vi que no seu grupo fechado existe vários menores”, concluiu a mãe da garota.

Veja o texto completo que a mãe escreveu: