Uma jovem morreu e outra ficou gravemente ferida após serem atropeladas por uma caçamba na tarde de quarta-feira (8), na BR-364, entre as Avenidas Guaporé e Mamoré, perímetro urbano de Porto Velho, em Rondônia (RO). A vítima fatal foi identificada como Auricélia Soares Cardoso, de 15 anos. A outra jovem que estava com a vítima, identificada como Mary, foi socorrida e encaminhada para uma unidade médica da cidade. O motorista da caçamba foi identificado como Cláudio M.S., de 55 anos.

Segundo informações repassadas pelas autoridades, as duas jovens estavam indo para a escola João Bento da Costa e estavam aguardando para fazer a travessia da BR na faixa de pedestre, próximo a um posto de gasolina.

Publicidade
Publicidade

Ainda de acordo com a polícia, alguns veículos já estavam parrados respeitando a faixa de pedestre, mas o motorista da caçamba não teria conseguido frear a tempo.

O motorista ainda conseguiu desviar dos carros, mas acabou atropelando as duas jovens. Os pneus da caçamba passaram por cima da adolescente, que ficou dilacerada da cintura para baixo e morreu no local antes mesmo do socorro chegar. A outra adolescente atingida pelo veículo foi arremessada alguns metros e ficou gravemente ferida. O socorro foi acionado por populares. Segundo informações de testemunhas, as duas jovens eram irmãs. A outra jovem não corre risco de morte.

O motorista da caçamba tentou fugir, mas não teve sucesso na fuga e foi agredido por alguns populares até a chegada da polícia. Uma equipe da Polícia Rodoviária Federal chegou na cena do crime e fez a prisão do acusado em flagrante, levando-o para a Central de Flagrantes.

Publicidade

Na delegacia Cláudio prestou o seu depoimento para o delegado plantonista e foi autuado pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e ficará à disposição da Justiça, para tomar todas as medidas necessárias dentro da lei. O acusado já possui infrações de trânsito anteriores, como embriaguez ao volante e acidente com lesão corporal, em que as vítimas ficaram feridas em estado gravíssimo. #homicídio #Investigação Criminal #Casos de polícia