A falta de policiamento nas ruas do estado do #Espirito Santo vem causando pânico na população. A paralisação gerou uma terrível onda de violência e assaltos, trazendo cerca de 68 mortes segundo o Sindipol. Lojistas estão de portas fechadas com medo dos arrastões.

Os alunos das escolas da Grande Vitória e das cidades de Linhares e Cachoeiro de Itapemirim também foram prejudicados, pois foi suspenso o início do ano letivo.

Familiares dos #pms estão realizando protestos em frente aos batalhões, bloqueando a saída dos policiais. Tendo em vista que estes não podem fazer #Greve, familiares reivindicam o aumento dos salários.

Nesta quarta-feira (8), três PMs foram baleados quando estavam chegando à 3º Companhia do 7º Batalhão.

Publicidade
Publicidade

Sabe-se que um PM foi atingido por um tipo no cotovelo, e seu colega foi atingido na perna. Outro PM chegando ao Batalhão para averiguar o que havia acontecido, também foi atingido por um disparo que felizmente o acertou de raspão.

O cabo Thiago Bicalho lamentou o acontecido, e se manifestou: “Eles estão atuando sem equipamentos de segurança adequados, com a vida em risco”.

Reforço

Uma tropa composta por cerca de duzentos homens advindos da Aeronáutica chegou nesta quarta-feira (8) para dar apoio, inclusive aos mil homens do Exército, e à duzentos da Força Nacional, que também estão atuando no Espirito Santo.

Nesta quarta-feira (8) também foi confirmado o envio de mais de 500 militares das Forças Armadas, afirmou o ministro Raul Jungmann: “Estamos enviando estes 550 militares que estão se deslocando em aviões ou por viaturas para Vitória.

Publicidade

Conversei hoje com o ministro interino da Justiça, José Levi, que me informou que mais 100 homens da Força Nacional estão seguindo para cidades do interior capixaba”, disse Jungmann.

Pela manha foi confirmado o envio de 110 integrantes da Força Nacional.

Homens da Força Nacional estão atuando das 10h às 2h nos principais pontos da Grande Vitória, afirmou o general Sinott.

Sinott afirmou que a população gradativamente vai se sentindo mais segura e já se observa mais pessoas circulando pela cidade.