Um assaltante, que ainda não foi identificado pela perícia, foi morto após trocar tiros com fuzileiros navais, na Avenida Brasil, no trecho próximo ao Instituto de Traumatologia e Ortopedia (Into), na altura de São Cristóvão, na manhã desta quarta-feira (15). O homem baleado pelos militares estava efetuando assaltos na região quando deram de frente com os militares. Um segundo assaltante conseguiu fugir.

Segundo relatos, os dois homens estavam acompanhados por mais três comparsas que estavam do outro lado da rua. Uma das vítimas destes assaltantes, que se identificou como Lennon, de 32 anos, analista de sistema, relatou que mora na Baixada Fluminense e vinha em direção ao seu trabalho, no Centro.

Publicidade
Publicidade

Ele estava em sua motocicleta parado no engarrafamento, quando dois homens armados o abordaram, tomaram seu veículo e efetuaram fuga. Poucos metros à frente, os dois assaltantes deram de frente com os militares e efetuaram disparos. Os militares em pronta reação, revidaram e acertaram o assaltante que estava na garupa da moto. O condutor conseguiu fugir.

Lennon disse estar feliz com a presença dos militares, apesar de não ter sua moto recuperada. Antes de cometerem este delito, os dois assaltantes tentaram roubar a moto BMW do advogado Geraldo Freire, de 50 anos, morador de Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Porém, os assaltantes desistiram do veículo quando o alarme disparou.

Em seguida, a dupla abordou um motorista do Uber, que estava em um Fiat Siena de cor preta, e roubou a carteira e celular da vítima.

Publicidade

Freire relatou que estava trafegando na Avenida Brasil quando foi abordado pelos dois bandidos. Ele reduziu a velocidade do seu veículo, pois achava que eram pessoas querendo alguma informação. Foi quando um dos assaltantes mostrou a arma e anunciou o assalto.

Ele ainda pediu para ficar com seus documentos, porém a solicitação foi negada apelos assaltantes. O advogado conta que nunca havia sido assaltado e parabenizou o comandante da guarnição.

O tumulto que foi gerado pelos crimes e a troca de tiros chamou a atenção de curiosos que passavam pelo local. Alguns postaram relatos em suas redes sociais. #riodejaneiro #Segurança #Fuzileirosnavais