Muita gente não tem mais paciência com a justiça. Nem sempre uma posição das autoridades é tomada no tempo que as pessoas querem. Isso pode acabar provocando, infelizmente, atitudes bastante graves e condenáveis. Uma mulher acusada de matar bebês no Amazonas, por exemplo, sentiu na pele o julgamento antecipado de seus supostos atos. Ela acabou sendo linchada por moradores do município de Novo Aripuanã, que fica a duzentos quilômetros da capital amazonenses, Manaus. Por motivo jurídicos, não citaremos o nome da acusada, que já estava presa na delegacia da região, quando tudo aconteceu.

Oficialmente, a mulher que foi linchada, é acusada de matar um menino de dois anos.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o povo da região diz que ela é uma assassina em série e, rapidamente, boatos surgiram em torno dela. Um vídeo que mostra a revolta popular caiu nas redes sociais. Ele pode ser visto ao final dessa reportagem. As imagens começam com os populares revoltados tirando a mulher da delegacia. Eles a arrastam a mulher pelos cabelos até uma fogueira improvisada. Ela chega a ser jogada no fogo, mas consegue ser mais rápida e sair correndo. A mulher teve alguns ferimentos.

Nas imagens, é possível ver que ela se queimou bastante com o episódio. De acordo com informações de sites de notícias da região, a mulher apenas não foi morta, pois os policiais impediram. Nenhuma das pessoas que agrediu a acusada acabou sendo presa. O vídeo da violência está sendo usado pela polícia para investigar o caso.

Publicidade

Infelizmente, em regiões do interior, flagrantes como esse são comuns.

Veja abaixo o vídeo que mostra a mulher sendo agredida pelos moradores amazonenses, após supostamente ter matado crianças. Atenção, as imagens a seguir podem ser consideradas fortes para alguns leitores. Por isso, deixamos sempre um alerta. Na sua opinião, a população agiu de maneira precipitada ao agir com as próprias mãos? Não esqueça de deixar o seu comentário. A sua opinião é sempre muito importante para todos nós e ajuda no diálogo de temas relevantes à sociedade.

#Crime